SAÚDE MENTAL E ALIMENTAÇÃO: MAUS HÁBITOS ALIMENTARES ASSOCIADOS A DISBIOSE INTESTINAL

Autores

  • Natália Mara Silvestrin UNIASSELVI

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.8051

Palavras-chave:

Microbiota intestinal. Microvilosidade. Nutrientes. Inflamação. Disbiose. Conexão bidirecional. Cérebro. Neurônios.

Resumo

A microbiota intestinal ou a flora intestinal tem influência no dia a dia de cada indivíduo devido à alta micro vilosidade que garante a superfície de contato, auxiliando na absorção dos nutrientes. Quando há um desequilíbrio alimentar a microbiota sofre uma disbiose que, por usa vez, acarreta em uma inflamação intestinal. Nesse sentido, o intestino é considerado o segundo cérebro, por muitos cientistas, por possuir uma conexão bidirecional com o cérebro devido à alta superfície de contato. Portanto, quando existe uma falta de nutrientes e excesso e alimentos com baixo valor nutritivo, o intestino tem a função, por meio de neurônios, mandar informações para o SISTEMA NERVOSO CENTRAL, o qual sinaliza os sintomas como a ansiedade e a depressão.

Biografia do Autor

Natália Mara Silvestrin, UNIASSELVI

Acadêmica de Biomedicina (UNIASSELVI). Rio Grande do Sul, Canoas. Estagiária em Análises clínicas. Cursando Radiologia (SEG) 

Downloads

Publicado

30/12/2022

Como Citar

Silvestrin, N. M. . (2022). SAÚDE MENTAL E ALIMENTAÇÃO: MAUS HÁBITOS ALIMENTARES ASSOCIADOS A DISBIOSE INTESTINAL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(12), 629–640. https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.8051