O PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL E O LUTO INFANTIL

Autores

  • Débora Thais Nascimento da Silva Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia
  • Elaine Escobar Medeiros Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia
  • Sandra Lucia Ferreira Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia
  • Simone Siqueira de Souza Rocha Faculdade Mantenense dos Vales Gerais- INTERVALE
  • Viviane Ramos Mota Faculdades Integradas de Várzea Grande – FIAVEC
  • Uanaia Aparecida Luz Centro Universitário Varzeagrande – UNIVAG
  • Jaqueline Lopes dos Reis Faculdade UNINA

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7323

Palavras-chave:

Morte. Família. Criança.

Resumo

No âmbito familiar, uma dificuldade grande para os pais está exatamente na necessidade que a criança tem de fazer perguntas muitas vezes complexas. Colocam questões profundas sobre o ser humano, sobre a vida e sobre a morte. Quando alguém da família de uma criança morre, ainda que se tente omitir ou negar, ela irá perceber por meio das atitudes transformadas dos familiares ao redor. O fato é que cedo ou tarde ela descobrirá. Omitir-lhe a verdade seria algo grave, seria como ignorá-la só porque ela não fala como os adultos, como excluí-la da família, e pior ainda, se as pessoas mais próximas em que ela deposita toda sua confiança não forem capazes de falar sinceramente sobre a morte, ela tomará isso como um modelo a seguir e nem ousará perguntar a respeito daquilo que sua percepção lhe diz. O que o adulto não sabe, é que as crianças questionam sem angústia a respeito da morte até cerca de sete anos. Por volta dos três anos de idade esta questão começa a aparecer. Existem animais que morrem em torno delas, elas ouvem histórias, conversas, o conceito de que as coisas acabam, e que os limites existem, já estão estabelecidos desde muito cedo. O presente estudo foi realizado por meio de pesquisa bibliográfica e estudo de caso com um menino de 6 anos que perdeu a mãe.

Biografia do Autor

Débora Thais Nascimento da Silva, Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia

Graduada em Pedagogia pela Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia.

Elaine Escobar Medeiros, Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia

Graduada em Pedagogia pela Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia, Especialista em Libras/Educação Inclusiva.

Sandra Lucia Ferreira, Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia

Graduada em Pedagogia pela Faculdade Cândido Rondon – UNIRONDON, Especialista em Educação Infantil e Anos Iniciais pela Faculdade INVEST de Ciências e Tecnologia.

Simone Siqueira de Souza Rocha, Faculdade Mantenense dos Vales Gerais- INTERVALE

Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário - UNIVAG, Especialista em Educação Infantil pela Faculdade Mantenense dos Vales Gerais (INTERVALE).

Viviane Ramos Mota, Faculdades Integradas de Várzea Grande – FIAVEC

Graduada em Pedagogia pela Universidade de Cuiabá – UNIC, Especialista em Educação Infantil e Alfabetização pelas Faculdades Integradas de Várzea Grande – FIAVEC

Uanaia Aparecida Luz, Centro Universitário Varzeagrande – UNIVAG

Graduada em Pedagogia pela Universidade Norte do Paraná – UNOPAR, Graduada em Admnisitração de Empresas pelo Centro Universitário Varzeagrande – UNIVAG, Especialista em Psicopedagogia pela Instituto do Ensino Superior de Minas Gerais – IESMIG, Especialista em Docência do Ensino Superior pela Centro Universitário Varzeagrande – UNIVAG.

 

Jaqueline Lopes dos Reis, Faculdade UNINA

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Especialista em Literatura Infantil pela Faculdade UNINA.

Downloads

Publicado

08/11/2022

Como Citar

Silva, D. T. N. da ., Medeiros, E. E. ., Ferreira, S. L. ., Rocha, S. S. de S. ., Mota, V. R. ., Luz, U. A. ., & Reis, J. L. dos . (2022). O PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL E O LUTO INFANTIL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(10), 2924–2933. https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7323

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>