O OCEANO DE FÓTONS

Autores

  • Gyorgy Laszlo Gyuricza Fundação Armando Álvares Penteado- SP

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6403

Palavras-chave:

A luz. Os fótons. A energia escura. A matéria escura. Cálculos. A massa do fóton.

Resumo

Este artigo apresenta uma explicação original e inédita para a natureza da luz e das demais ondas eletromagnéticas. A hipótese de que o universo inteiro, inclusive a matéria, está imerso num oceano de fótons, explica diversos fenômenos que permanecem obscuros, como, por exemplo, a matéria escura, a energia escura, a radiação cósmica de fundo etc. Para reforçar a hipótese apresentada neste artigo, partindo do princípio de que os fótons não viajam na velocidade da luz, mas oscilam, transmitindo suas vibrações para os fótons vizinhos, o autor corrobora sua tese com avaliações matemáticas e cálculos simples de física, inteligíveis por qualquer pessoa com ensino médio completo.

Biografia do Autor

Gyorgy Laszlo Gyuricza, Fundação Armando Álvares Penteado- SP

Engenheiro pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado de SP), e pós-graduado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas de São Paulo). Aposentou-se como analista do Banco Central do Brasil. Paralelamente à carreira técnica, sempre trabalhou com ensino, sua grande paixão. Ingressou, em 1973, na FEI (Faculdade de Engenharia Industrial - SP) como professor de Física. Posteriormente passou a lecionar também em cursos preparatórios para concursos públicos, além de escrever livros e apostilas. Principais obras publicadas pelo autor: Desvendando os Segredos de Universo Curiosidades, Históricas, Antiguidade, Lógica de Argumentação, Curso a Distância de Raciocínio Lógico Matemático • 7 volumes.  Curso a Distância de Matemática Financeira • 7 volumes.  700 Questões de Raciocínio Lógico.  700 Questões de Matemática Financeira e Estatística.  200 Questões de Lógica não Matemática.

Downloads

Publicado

30/07/2022

Como Citar

Gyuricza, G. L. . (2022). O OCEANO DE FÓTONS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(7), 1183–1188. https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6403