A INVISIBILIDADE PÚBLICA E SOCIAL DOS TRABALHADORES: UMA REVISÃO DA LITERATURA SOBRE TRABALHOS INVISÍVEIS NA SOCIEDADE

Autores

  • Jean Carlos Pinto do Nascimento Universidade Santo Amaro – UNISA

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.8019

Palavras-chave:

Invisibilidade pública. Invisibilidade social. Trabalho.

Resumo

A invisibilidade pública é um fenômeno psicossocial caracterizado pelo desaparecimento de um sujeito em meio a outros, e atinge a vida de muitos trabalhadores em seus cargos exercidos, sendo eles desvalorizados em nossa atual sociedade. Essas atividades de trabalho, são muitas vezes relegadas, desprezadas ou despercebidas, são os trabalhadores invisíveis. No entanto, a questão da invisibilidade ainda é uma temática pouco conhecida, mas que na maioria das vezes é uma parte do cotidiano de grupos de trabalhadores que sofrem diante do descaso e formas de legitimação e naturalização das desigualdades. O Objetivo deste estudo foi de investigar quais são os trabalhos invisíveis na sociedade e quais são as características constituintes desses trabalhos e de seus trabalhadores. A metodologia utilizada nesse estudo foi de revisão da literatura entre os anos de 2016 a 2021, utilizando periódicos e bases de dados indexadas com trabalhos relevantes ao tema. Cargos de trabalhos manuais entre outros trabalhos ligados a limpeza e coleta de materiais recicláveis são tidos como inferiores, assim como quem os ocupa. A invisibilidade atinge trabalhadores de uma classe social pauperizada, onde questões como as formas de desigualdades e processos de exclusão são uma realidade naturalizada, que culpabiliza o sujeito que sofre.

Biografia do Autor

Jean Carlos Pinto do Nascimento, Universidade Santo Amaro – UNISA

Graduado em Psicologia – Formação de Psicólogo e Bacharelado pela Universidade Santo Amaro – UNISA.

Downloads

Publicado

30/12/2022

Como Citar

Nascimento, J. C. P. do . (2022). A INVISIBILIDADE PÚBLICA E SOCIAL DOS TRABALHADORES: UMA REVISÃO DA LITERATURA SOBRE TRABALHOS INVISÍVEIS NA SOCIEDADE . Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(12), 149–160. https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.8019