ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DA DOENÇA DIVERTICULAR NA REGIÃO SUDESTE EM COMPARATIVO COM O BRASIL NOS ÚLTIMOS 11 ANOS

Autores

  • Ellen Francine Rosestolato Universidade de Vassouras
  • Catharina Ferreira da Costa Magalhães Universidade de Vassouras
  • Glaucia da Silva Tasca Universidade de Vassouras
  • Gabriela Paiva da Costa Jardim Universidade de Vassouras
  • Adriana Rodrigues Ferraz Universidade de Vassouras

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6397

Palavras-chave:

Doença Diverticular. Diverticulite. Epidemiologia.

Resumo

A doença diverticular consiste na presença de saculações principalmente no intestino grosso; afeta predominantemente a população idosa e pode causar complicações como inflamação, perfuração, fístulas, hemorragia digestiva baixa, inclusive necessitando de intervenção cirúrgica em caráter de urgência. Objetivou-se analisar a sua ocorrência no Brasil, com ênfase na área mais atingida, que é o Sudeste, entre os anos de 2010 e 2020. Foi realizado um estudo retrospectivo e descritivo através de informações encontradas no DATASUS, entre janeiro de 2010 e setembro de 2020, contendo informações como internações, número de óbitos, taxa de mortalidade, valor total de custo, média de permanência hospitalar e faixa etária. O Brasil registrou um total de 84.971 internações, destaque para o sudeste com 50.528 internações, seguido do Sul com 18.471, Nordeste 9.103, Centro- Oeste com 4.748 e Norte com 2.121 internações. A faixa etária mais atingida foi 80 anos ou mais com 196.488 internados. A média de permanência hospitalar foi de 6,4 dias, a quantidade de óbitos foi 3.379, a taxa de mortalidade de 5,86 e o valor total gasto de R$ 80.698.098,29. A doença diverticular tem maior incidência entre os maiores de 60 anos e tende a aumentar devido à expectativa de vida crescente e pela piora dos hábitos alimentares, principalmente nas regiões industrializadas. Mesmo sendo uma doença no qual a maioria apresenta poucos sintomas é preciso conscientizar a população sobre a importância da alimentação rica em fibras para evitar a constipação intestinal, a fim de prevenir futuras complicações e recidivas.

Biografia do Autor

Ellen Francine Rosestolato, Universidade de Vassouras

Graduanda em medicina. Universidade de Vassouras. E-mail: ellenrosestolato@icloud.com.

Catharina Ferreira da Costa Magalhães, Universidade de Vassouras

Graduanda em medicina. Universidade de Vassouras. E-mail: cathmagal@gmail.com.

Glaucia da Silva Tasca, Universidade de Vassouras

Graduanda em medicina. Universidade de Vassouras. E-mail:  Gal.costa@gmail.com.

Gabriela Paiva da Costa Jardim, Universidade de Vassouras

Graduanda em medicina. Universidade de Vassouras. E-mail:  Gabriealapaiva.jardim@gmail.com 

Adriana Rodrigues Ferraz, Universidade de Vassouras

Pós-graduação em gastroenterologia pelo Instituto Carlos Chagas Especialista em Gastroenterologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG).  E-mail:  adrianarferraz70@gmail.com.

Downloads

Publicado

30/07/2022

Como Citar

Rosestolato, E. F. ., Magalhães, C. F. da C. ., Tasca, G. da S. ., Jardim, G. P. da C. ., & Ferraz, A. R. . (2022). ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DA DOENÇA DIVERTICULAR NA REGIÃO SUDESTE EM COMPARATIVO COM O BRASIL NOS ÚLTIMOS 11 ANOS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(7), 1119–1130. https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6397

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.