O BEHAVIOR SKILLS TRAINING (BST) EM PROFISSIONAIS PARA MANEJO DE COMPORTAMENTOS DESAFIANTES EM CRIANÇAS COM AUTISMO

Autores

  • Pablo Alexsander Tavares Amoras Faculdade Estácio de Macapá
  • Maria das Graças Teles Martins Universidade Federal de São Paulo
  • Pedro Araújo Ferreira Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.5129

Palavras-chave:

Behavioral skills training. Staff training. Autism spectrum disorder. Disruptive behaviors.

Resumo

INTRODUÇÃO: O Behavior Skills Training (BST) é um procedimento que auxilia na aquisição de diferentes repertórios comportamentais e no ensino de habilidades, a vista disso, propõe-se neste estudo o uso em sujeitos com diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outros transtornos neurótipicos. Este estudo se justifica na utilidade do procedimento e sua relevância em diferentes áreas de conhecimento, entre elas a educação, saúde e áreas afins. OBJETIVO: Buscou-se identificar o comportamento desafiante, além disso, propôs-se, analisar o comportamento, suas funções, a avaliação funcional e apresentar o BST e seus principais componentes. MÉTODO: O presente estudo foi uma pesquisa bibliográfica exploratória, foram realizadas buscas por meio de diferentes bases de dados e portais de pesquisa como: Google Scholar, OpenSiuc, Behavior Analysis in Practice, Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, Pubmed, Behavioral Interventions RESULTADOS: Observou-se diversas evidências científicas do BST no ensino de repertórios em diferentes campos de conhecimento e contextos de vida e a modesta produção de conhecimento cientifico na saúde e educação, como também se apresenta cientificamente como um procedimento eficaz para o ensino de novos repertórios comportamentais em sujeitos, tanto típicos como atípicos, foi visto em diferentes pesquisas apresentadas neste estudo, seu potencial de resolutividade, eficiência e produtividade. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Este estudo possibilitou ampliar o olhar e sugerir alternativas de intervenções e refletir acerca de ações voltadas ao treino de profissionais para o manejo de comportamentos desafiantes em crianças com TEA. Pesquisar sobre este tema auxilia no entendimento dos diversos aspectos envolvidos na atuação do profissional, perceber que se faz necessário ampliar os estudos e discussões sobre este tema que permeia diferentes práticas profissionais. 

Biografia do Autor

Pablo Alexsander Tavares Amoras, Faculdade Estácio de Macapá

Psicólogo. Faculdade Estácio de Macapá (AP); Pós-graduando em ABA para TEA (CENSUPEG); Residente em Saúde Coletiva e Atenção à Saúde Mental (UNIFAP). Psicólogo voluntário no Ambulatório de Atenção a Crise Suicida (AMBACS/UNIFAP) com atendimento individual e em grupo de posvenção em suicídio. Currículo Lattes: Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8565977858830647  E-mail: pablo_tavares123@hotmail.com.

Maria das Graças Teles Martins, Universidade Federal de São Paulo

Psicóloga. Mestre em saúde coletiva (UNIFESP); Mestre em Ciências da Educação (ULHT-Portugal); Esp. em Terapia Cognitivo Comportamental (IFAP); Esp. em Sexualidade Humana (UFPB); Esp. em Psicologia da saúde, Desenvolvimento e hospitalização (UFRN); vice-delegada da Sociedade Brasileira de Terapias Cognitivas no Amapá; Supervisora clínica; docente/ Faculdade Estácio de Macapá (AP). E-mail: mgtmartins@gmail.com. Currículo Lattes: Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8591337751095034  ID Lattes: 8591337751095034 

Pedro Araújo Ferreira, Universidade Federal do Pará

Professor. Psicólogo (UFPA). Mestre em Teoria e Pesquisa do Comportamento (PPGTPC/UFPA), docente/Universidade CEUMA.  Curriculo Lattes: Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4412507427814191. E-mail: pedro.ferreira1103@gmail.com. 

Downloads

Publicado

30/04/2022

Como Citar

Amoras, P. A. T. ., Martins, M. das G. T. ., & Ferreira, P. A. . (2022). O BEHAVIOR SKILLS TRAINING (BST) EM PROFISSIONAIS PARA MANEJO DE COMPORTAMENTOS DESAFIANTES EM CRIANÇAS COM AUTISMO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(4), 1234–1256. https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.5129