ÔMEGA 3 COMO POSSÍVEL AUXILIAR NO TRATAMENTO DE TRANSTORNOS COGNITIVOS

Autores

  • Elberto Teles Ribeiro UCDB/MS
  • Paulina Nunes Heringer Centro Univerisitário Euroamericano
  • Sergio Luiz Freire Costa UFPE
  • Luiza Gonçalves dos Santos Faculdade da Região Serrana FARESE
  • Lohraine Raimundo Freitas de Paula Universidade do Grande Rio
  • Luiz Felipe dos Santos UFPB
  • Ariana da Silva Rogalski Centro Universitário do Paraná
  • Maria Micaelly de Melo Araújo Universidade Tiradentes
  • Rosane da Costa Marques Centro Universitário Planalto do Distrito Federal – UNIPLAN
  • Leandro Luiz da Silva Loures Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Jéssica Andressa da Silva Mota Unoeste
  • Danielle Karine Barbosa Oliveira UCB

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v9i8.10964

Palavras-chave:

Ômega 3. Função Cognitiva. Doença de Alzheimer. TDAH. Depressão. Tratamento

Resumo

O presente trabalho discute a importância do ômega 3 na melhoria da função cognitiva e no tratamento de transtornos cognitivos, como a doença de Alzheimer, o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e a depressão. O ômega 3 é um ácido graxo poli-insaturado essencial encontrado em peixes de água fria, como salmão, sardinha e atum, além de folhas verdes escuras, nozes e sementes de linhaça. Esse ácido graxo desempenha um papel importante no desenvolvimento e funcionamento do cérebro, sendo um componente estrutural das membranas celulares cerebrais. Pesquisas têm mostrado que uma dieta rica em ômega 3 pode ter efeitos benéficos na melhoria da função cognitiva. Estudos em animais têm demonstrado que o ômega 3 pode aumentar a formação de novas células cerebrais, melhorar a plasticidade sináptica e reduzir a inflamação cerebral, processos que são importantes para a saúde mental e cognitiva. Além disso, estudos em humanos têm mostrado resultados promissores no uso do ômega 3 no tratamento de transtornos cognitivos. Por exemplo, em pacientes com doença de Alzheimer, suplementação com ômega 3 tem sido associada a uma melhoria na função cognitiva e na redução do declínio cognitivo. No caso do TDAH, estudos têm mostrado que crianças com altos níveis de ômega 3 têm menor probabilidade de desenvolver o transtorno, além de apresentarem menor gravidade dos sintomas. O ômega 3 também tem sido estudado como uma opção de tratamento adjuvante para a depressão, com alguns estudos mostrando que a suplementação pode ser eficaz na redução dos sintomas depressivos. Apesar dos resultados promissores, é importante ressaltar que mais pesquisas são necessárias para confirmar os benefícios do ômega 3 no tratamento de transtornos cognitivos. Além disso, é importante considerar fatores como dose ideal, duração do tratamento e possíveis efeitos colaterais. Em conclusão, o ômega 3 pode ser uma opção promissora no tratamento de transtornos cognitivos, uma vez que desempenha um papel importante na função cerebral. No entanto, mais estudos são necessários para entender melhor seus mecanismos de ação e determinar se a suplementação com ômega 3 pode ser uma intervenção eficaz e segura no tratamento desses transtornos.

Biografia do Autor

Elberto Teles Ribeiro, UCDB/MS

Especialista em Tecnologias digitais e inovação na educação, em pedagogia digital e inovações tecnológicas, em gestão escolar e coordenação pedagógica, em educação especial, inclusiva e altas habilidades e em metodologia do ensino da geografia pela FACUMINAS. Mestrando em Educação UCDB/MS.

Paulina Nunes Heringer, Centro Univerisitário Euroamericano

Graduada em Nutrição, Pós-graduada em Nutrição pelo Centro Universitário Euroamericano.

Sergio Luiz Freire Costa, UFPE

Doutor em Geografia pela UFPE.

Luiza Gonçalves dos Santos, Faculdade da Região Serrana FARESE

Nutricionista pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais – Campus Barbacena, Pós-graduada em Nutrição clínica e esportiva pela Faculdade da Região Serrana FARESE.

Lohraine Raimundo Freitas de Paula, Universidade do Grande Rio

Formada em Nutrição pela Universidade do Grande Rio. Professor José de Souza Herdy.

Luiz Felipe dos Santos, UFPB

Acadêmico de Nutrição pela UFPB.

Ariana da Silva Rogalski, Centro Universitário do Paraná

Acadêmica de Nutrição pelo Centro Universitário do Paraná.

Maria Micaelly de Melo Araújo, Universidade Tiradentes

Acadêmica de Nutrição pela Universidade Tiradentes.

Rosane da Costa Marques, Centro Universitário Planalto do Distrito Federal – UNIPLAN

Graduada em Nutrição pelo Centro Universitário Planalto do Distrito Federal – UNIPLAN.

Leandro Luiz da Silva Loures, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduado em Nutrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Jéssica Andressa da Silva Mota, Unoeste

Graduada em Nutrição pela Unoeste.

Danielle Karine Barbosa Oliveira, UCB

Graduada em Nutrição e Mestre em Gerontologia pela UCB.

Downloads

Publicado

2023-09-15

Como Citar

Ribeiro, E. T., Heringer, P. N., Costa, S. L. F., Santos, L. G. dos, Paula, L. R. F. de, Santos, L. F. dos, … Oliveira, D. K. B. (2023). ÔMEGA 3 COMO POSSÍVEL AUXILIAR NO TRATAMENTO DE TRANSTORNOS COGNITIVOS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 9(8), 1653–1667. https://doi.org/10.51891/rease.v9i8.10964

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.