MORTALIDADE RELACIONADA À INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA NO BRASIL: UM ESTUDO USANDO CAUSAS MÚLTIPLAS DE MORTE MORTALIDADE RELACIONADA À IRC NO BRASIL

Autores

  • Edna Maria Rezende Universidade Federal de Minas Gerais image/svg+xml
  • Lenice Harumi Ishitani ecretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Augusto Hasiak Santo Universidade de São Paulo- USP
  • Eunice Francisca Martins Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i4.941

Palavras-chave:

Causas Múltiplas de Morte, Mortalidade, Nefropatias, Sistemas de informação.

Resumo

Introdução: A Doença Renal Crônica constitui um problema de saúde pública mundial, pelas altas taxas de morbimortalidade e custo elevado do tratamento.  Este estudo teve como objetivo analisar a mortalidade por Insuficiência Renal Crônica (IRC), sob o enfoque das Causas Múltiplas de Morte. Metodologia: Foram analisados os óbitos por IRC, código N18 da CID 10, ocorridos de 2011 a 2013, em adultos residentes nos municípios brasileiros, com mais de 100 mil habitantes. Os dados foram obtidos por meio do Sistema de Informação sobre Mortalidade, disponíveis no DATASUS-MS.  O estudo teve como foco de análise a abordagem das causas múltiplas de morte e utilizou-se para obtenção das informações, programa específico - Tabulador de Causas Múltiplas de Morte. Resultados: Do total de 1.863.669 óbitos de adultos maiores de 20 anos, a IRC foi causa básica em 10.087 óbitos, correspondendo a 0,54% e causa múltipla de morte em 78.938 óbitos(4,2% do total). Verificou-se que a IRC foi mencionada 7,8 vezes mais sob o enfoque de causas múltiplas.  As principais causas básicas desses óbitos foram diabetes e doenças hipertensivas e as causas de morte associadas à IRC foram, em sua maioria, causas inespecíficas. Conclusões: A abordagem de causas múltiplas de morte deu visibilidade à IRC, subdimensionada como causa básica e usualmente preterida em relação às demais, por determinação das regras de seleção da CID. Ao determinar o perfil de causas desses óbitos, a pesquisa possibilitou o norteamento de ações preventivas e de promoção da saúde direcionadas à atenção primária à saúde, porta de entrada dos pacientes no sistema.

Biografia do Autor

Edna Maria Rezende, Universidade Federal de Minas Gerais

Profa. Associada aposentada do Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

 

Lenice Harumi Ishitani, ecretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Servidora aposentada da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Augusto Hasiak Santo, Universidade de São Paulo- USP

Professor associado aposentado da Universidade de São Paulo. auhsanto@usp.br.

Eunice Francisca Martins, Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

Profa. Associada do Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Downloads

Publicado

30/04/2021

Como Citar

Rezende, E. M. ., Ishitani, L. H. ., Santo, A. H. ., & Martins, E. F. . (2021). MORTALIDADE RELACIONADA À INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA NO BRASIL: UM ESTUDO USANDO CAUSAS MÚLTIPLAS DE MORTE MORTALIDADE RELACIONADA À IRC NO BRASIL . Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(4), 29–38. https://doi.org/10.51891/rease.v7i4.941