LIXO RECICLÁVEL TRANSFORMADO EM OBJETOS DE DECORAÇÃO COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Autores

  • Marcos André Pinheiro Velloso Universidade Federal do Pampa
  • Jorge Renato Pinheiro Velloso Universidade Federal do Pampa
  • Emily Carvalho da Silva Universidade Federal do Pampa
  • Eduardo Bica Ferreira Universidade Federal do Pampa
  • Ludimila Lobato Vilazante Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.7963

Palavras-chave:

Educação ambiental. Reutilização de recicláveis. Ecologia.

Resumo

Foi realizada com duas turmas de terceiro ano do ensino médio uma saída de campo com uma visita a um local de floresta próximo a área urbana, para ver a realidade do que acontece com o lixo que jogamos fora sem estar interessado no que irá acontecer com ele. Foi coletada parte desse material e realizada a reutilização desses, transformando o material coletado em objetos de decoração, assim garantindo que aos alunos tenham consciência de que podemos reutilizar em vez de descartar.

Biografia do Autor

Marcos André Pinheiro Velloso, Universidade Federal do Pampa

Biólogo, Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel.

Jorge Renato Pinheiro Velloso, Universidade Federal do Pampa

Biólogo, Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel.

Emily Carvalho da Silva, Universidade Federal do Pampa

Técnica ambiental, discente de Engenharia Florestal, Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel.

Eduardo Bica Ferreira, Universidade Federal do Pampa

Biólogo, Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel.

Ludimila Lobato Vilazante, Universidade Federal do Pampa

Discente de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel.

Downloads

Publicado

30/12/2022

Como Citar

Velloso, M. A. P. ., Velloso, J. R. P. ., Silva, E. C. da ., Ferreira, E. B. ., & Vilazante, L. L. . (2022). LIXO RECICLÁVEL TRANSFORMADO EM OBJETOS DE DECORAÇÃO COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(12), 17–22. https://doi.org/10.51891/rease.v8i12.7963