ESTUDO DA USABILIDADE DE UM PROTÓTIPO DE AUTOTESTE PARA TRIAGEM DO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (HIV)

Autores

  • Ricardo Cristiano de Souza Brum Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos/Fundação Oswaldo Cruz.
  • Tatiana Jorge Fernandes Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos/Fundação Oswaldo Cruz.
  • Janaína Reis Xavier Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos/Fundação Oswaldo Cruz
  • Maria de Lourdes Souza Maia Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos/Fundação Oswaldo Cruz
  • Luiz Antônio Bastos Camacho Escola Nacional de Saúde Pública – ENSP/Fundação Oswaldo Cruz
  • Fábio Correia Sampaio Universidade Federal da Paraíba – UFPB
  • Ilma Pastana Ferreira Universidade do Estado do Pará – UEPA
  • Maria Inês de Moura Campos Pardini Universidade Estadual Paulista – UNESP – SP

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i3.750

Palavras-chave:

HIV. Self – test. Rapid tests. Iimmunodeficiency. Health.

Resumo

Globalmente, cerca de um terço dos jovens conhecem o status de HIV, o que está muito abaixo da meta de 95% da Sessão Especial da Assembleia Geral das Nações Unidas. Aumentar o acesso e a aceitação do teste de HIV é fundamental para reduzir a incidência do HIV e para melhorar o acesso ao tratamento e ao suporte para pessoas soropositivas. Pessoas cientes de serem soropositivas são menos propensas a terem um comportamento de risco, assim como as pessoas que recebem tratamento antirretroviral (ART) e aderem a este tratamento, são menos propensas a transmitirem o vírus para outras pessoas. Estas estratégias são formas de ajudar na diminuição da transmissão do vírus e no impacto sobre a epidemia da doença. Com o autoteste para HIV, as pessoas podem usar FO para descobrir se possuem o vírus em um ambiente privado e conveniente, com a vantagem de um resultado rápido dentro de 20 minutos ou menos. Para aqueles que apresentarem resultados positivos, recomenda-se buscar testes confirmatórios nas unidades de saúde, além do encaminhamento, o mais breve possível, para os serviços de cuidado, prevenção e tratamento. Esse tipo de testagem é uma forma de alcançar um maior quantitativo de pessoas sem o diagnóstico de HIV, uma vez que facilita o acesso ao diagnóstico precoce e cria-se demanda para a testagem de HIV, viabilizando o teste às pessoas que enfrentam barreiras no acesso aos serviços de saúde. Esta pesquisa teve como objetivo central avaliar a usabilidade de um protótipo de autoteste do HIV desenvolvido a partir do TR DPP® HIV – 1/2 Fluido Oral de Bio-Manguinhos, em 112 participantes de pesquisa, seguindo recomendação da Nota Técnica N° 20/2016/GEVIT/GGTPS/ANVISA. Trata-se de um estudo com abordagem de método misto para avaliação da usabilidade de um protótipo de autoteste do HIV entre usuários leigos. Técnicas de coleta de dados serão feitas a partir de observação através de vídeos de usuários leigos conduzindo a autotestagem sem supervisão, uma lista de checagem qualitativa pela observação do participante, entrevistas pré-teste e pós-teste e ficha de encerramento. Foram identificados e registrados os erros percebidos durante a execução do teste pelos participantes da pesquisa em relação aos procedimentos descritos nas instruções de uso, assim como uma avaliação de risco através da classificação quanto à gravidade dos erros. Desta forma, entre os 107 participantes que finalizaram o autoteste, quatro participantes (3,74%) acertaram todos os passos. 103 participantes (96,26%) cometeram erros em um ou mais passos. 31 participantes (29,0%) interpretaram os resultados do teste de forma errada. Foi concluído que será necessária a utilização de apenas uma instrução de uso, com letras maiores e maior quantidade de ilustrações. Adicionalmente, será necessária a modificação do envelope do suporte para facilitar a abertura, assim como a revisão e alteração do texto, ilustrações e suporte para promover a concordância entre as informações. Tais modificações estão sendo realizadas como medidas de controle para facilitar o manuseio do autoteste e entendimento das instruções de uso pelos usuários e reduzir os riscos (palavras-chave: autoteste HIV, testes rápidos, imunodeficiência).

Downloads

Publicado

01/04/2021

Como Citar

Brum, R. C. de S. ., Fernandes, T. J. ., Xavier, J. R. ., Maia, M. de L. S. ., Camacho, L. A. B. ., Sampaio, F. C. ., Ferreira, I. P., & Pardini, M. I. de M. C. . (2021). ESTUDO DA USABILIDADE DE UM PROTÓTIPO DE AUTOTESTE PARA TRIAGEM DO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (HIV). Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(3), 1–19. https://doi.org/10.51891/rease.v7i3.750