USO DE ESTIMULANTE E ADUBO FOLIAR NA CULTURA DO MILHO

Autores

  • Celso Rocha Alves Centro Universitário de Votuporanga
  • Evandro Carlos Silva Centro Universitário de Votuporanga 
  • Mariane Aparecida Barbará Instituto Agronômico de Campinas
  • Sileno Marcos Araujo Ortin Faculdade Futura

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7241

Palavras-chave:

Bioestimulantes. Produtividade. Zea mays L. Adubação., Bioestimulantes. Produtividade. Zea mays L. Adubação.

Resumo

O Milho (Zea mays L.), é uma das culturas de maior importância no Brasil, sendo o principal cereal cultivado. A busca por aumento de produtividade no cultivo é um fator que vem sendo requerido cada dia mais, pelos produtores e pelo mercado de grãos. A cultura do milho é uma das mais exigentes em adubação, porém responde bem a aplicação de fertilizantes, níveis nutricionais de qualidade elevam a produção final de grãos. Visto a necessidade do aumento de produtividade, o trabalho tem por objetivo avaliar a aplicação de bioestimulante comparado a aplicação de adubo foliar, avaliando assim o desenvolvimento da planta e peso dos grãos após a colheita. O experimento foi conduzido na cidade de Cardoso/SP, onde ocorreu a semeadura do milho da variedade P3397 PWU (Pioneer Sementes), e a aplicação dos tratamentos: T0 – Testemunha (sem aplicação), T1 – aplicação de hormônio sintético Stimulate®, na dose de 1 L/ha e T2 - aplicação de adubo foliar Exion Force®, na dose de 1 L/ha. Foram avaliados os parâmetros altura da planta, comprimento de espiga, peso de dez espigas, umidade dos grãos e peso total dos grãos. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado 3x5 (tratamentos x repetição). Os tratamentos T0, T1 e T2 não apresentaram diferenças significativas em relação ao comprimento das espigas. Houve diferença estatística entre os demais tratamentos, sendo o T1 o tratamento que mais rendeu em peso aliado a baixa umidade dos grãos e altura da planta. Portanto, o uso do bioestimulante apresenta influência no desenvolvimento da cultura do milho, proporcionando maiores rendimentos.

Biografia do Autor

Celso Rocha Alves, Centro Universitário de Votuporanga

Graduado em Agronomia - UNIFEV - Centro Universitário de Votuporanga.

Evandro Carlos Silva, Centro Universitário de Votuporanga 

Graduado em Agronomia - UNIFEV - Centro Universitário de Votuporanga. 

Mariane Aparecida Barbará, Instituto Agronômico de Campinas

Graduação em Agronomia pela Universidade Brasil (2015). Mestra em Agricultura Tropical e Subtropical pelo Instituto Agronômico de Campinas (2018).

Sileno Marcos Araujo Ortin, Faculdade Futura

Professor do curso de Administração e Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Faculdade de Ciências Gerênciais de Votuporanga-SP - Faculdade Futura. E-mail: sileno@faculdadefutura.com.br.

Downloads

Publicado

31/10/2022

Como Citar

Alves, C. R. ., Silva, E. C. ., Barbará, M. A. ., & Ortin, S. M. A. . (2022). USO DE ESTIMULANTE E ADUBO FOLIAR NA CULTURA DO MILHO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(10), 1358–1378. https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7241

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)