ADESÃO AO PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE

Autores

  • Marlon Ruan Cavalcanti Centro Universitário Ingá

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7027

Palavras-chave:

Segurança do Paciente. Sistemas de identificação de pacientes. Cuidados de Enfermagem.

Resumo

Objetivo: investigar o cumprimento das medidas acerca do protocolo de identificação segura do paciente. Método: pesquisa descritiva, exploratória, de abordagem quantitativa. Utilizou-se questionário sobre o protocolo de identificação segura do paciente para coleta de dados, sendo incluídos todos os pacientes internados em unidade de Clínica Médica e Unidade de Terapia Intensiva. Resultados: 52,9% (n=18) dos pacientes investigados eram do gênero feminino, com idade acima dos 50 anos (41,1%; n=14), em tratamento clínico (67,6%; n=23, 82,3% (n=28) dos pacientes não sabiam sobre a importância da pulseira de identificação, e 50% (n=17) dos medicamentos em infusão não estavam identificados, com no mínimo dois identificadores do paciente. Conclusão: o protocolo de identificação segura não está sendo aplicado na prática, sendo necessário que o serviço de saúde realize capacitações junto a equipe de saúde para melhorar a adesão ao protocolo.

Biografia do Autor

Marlon Ruan Cavalcanti, Centro Universitário Ingá

Discente do Curso de Graduação em Enfermagem - Centro Universitário Ingá. E-mail: marlon99465188@gmail.com.

Downloads

Publicado

31/10/2022

Como Citar

Cavalcanti, M. R. . (2022). ADESÃO AO PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(10), 240–247. https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7027