METAPLASMOS NA FALA DE MELGACENSES: UM RECORTE SINCRÔNICO

Autores

  • Adriana Paixão Pereira Universidade Federal do Pará
  • Cinthia de Lima Neves Universidade Federal do Pará - UFPA

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i8.6762

Palavras-chave:

Metaplasmos. Melgaço. Sociolinguística Quantitativa.

Resumo

Historicamente, a Língua Portuguesa passou por diversos processos de transformação fonética chamados metaplasmos, os quais são o objeto de estudo deste trabalho, cujo objetivo é identificar transformações fonéticas na fala de moradores de Melgaço-PA, tratando-os como processos de variação linguística. Baseado nos modelos de Coutinho (1976), Câmara Jr. (1884), Labov (2008), Bagno (2008) e Faraco (2007), para a constituição do corpus, construiu-se um questionário, constituído de perguntas previamente selecionadas contendo, propositalmente, as respostas com os vocábulos transformados mais recorrentes, tendo sido reunidos ao todo 120 dados. A análise quantitativa aponta que os metaplasmos mais recorrentes na comunidade investigada são do tipo transformação, i.e., um fonema da palavra se transforma passando a ser um outro fonema. Ressaltamos que este estudo é um recorte sincrônico, tendo sido considerados apenas os fatores de natureza extralinguística nas variações encontradas.

Biografia do Autor

Adriana Paixão Pereira, Universidade Federal do Pará

Discente do curso de Letras – Língua Portuguesa, da Universidade Federal do Pará – Campus de Breves.

Cinthia de Lima Neves, Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutora em linguística. FALE – CUMB -UFPA.

 

 

Downloads

Publicado

14/09/2022

Como Citar

Pereira, A. P. ., & Neves, C. de L. . (2022). METAPLASMOS NA FALA DE MELGACENSES: UM RECORTE SINCRÔNICO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(8), 1336–1345. https://doi.org/10.51891/rease.v8i8.6762