PERCEPÇÃO DOS AGRICULTORES EXPOSTOS AOS AGROTÓXICOS EM SEU AMBIENTE DE TRABALHO NO MUNICIPÍO DE SERRANÓPOLIS DO IGUAÇU-PR

Autores

  • Grasiele Marcolin Faculdade Uniguaçu
  • Tayna Cristine Marcolin Faculdade Uniguaçu
  • Denise Pavei Faculdade Uniguaçu
  • Silviane Galvan Pereira Faculdade Uniguaçu
  • Beatris Tres Faculdade Uniguaçu

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5787

Palavras-chave:

Agroquímicos. Ambiente de trabalho. Conhecimentos. Sinais e Sintomas.

Resumo

Introdução: O Brasil tem se destacado a nível mundial como potente produtor agrícola e com isso, contribuído na geração de empregos e para o desenvolvimento econômico nacional. Do mesmo modo, o país tem aumentado a comercialização de agrotóxicos utilizado no manejo das lavouras, cujos reflexos têm impactado negativamente na saúde humana e na conservação do meio ambiente. Objetivo: Identificar a percepção dos agricultores expostos aos agrotóxicos em seu ambiente de trabalho quanto à interferência na saúde humana. Metodologia: A pesquisa teve cunho exploratório, descritivo e com abordagem quantitativo. A investigação ocorreu no primeiro semestre de 2022, sendo direcionada a um grupo de 40 participantes. Todos moradores e trabalhadores rurais da comunidade Linha Pinheirinho, no município de Serranópolis do Iguaçu, localizado a oeste do estado do Paraná. Resultados: A partir dos dados coletados observou-se que 70% reconheceram não lerem os receituários agronômicos recomendados. Ainda, 85% disseram ler parcialmente e 15% dos mesmos, faz a leitura somente quando deseja lembrar a dosagem, onde que 43% dos pesquisados apresentaram algum sintoma após o manuseio de agrotóxicos, como dores de cabeça, fraqueza, náuseas, vômitos, diarreia e tonturas. Ainda, 70% dos entrevistados, disseram já ter sofrido algum tipo de intoxicação e que 83% dos agricultores afirmaram fazer uso parcial de EPI. Conclusão: A partir destes resultados foi possível concluir que é fundamental e de suma importância que os profissionais da saúde, através de ações na comunidade, prestem orientações e esclarecimentos ao público estudado. O profissional da enfermagem, na assistência à educação e a saúde, pode contribuir com a divulgação de informações sobre os cuidados com a exposição aos agrotóxicos, ao uso de EPI bem como sobre os riscos de intoxicação e surgimento de doenças relacionadas, proporcionando uma melhor qualidade de vida aos agricultores em seu ambiente de trabalho.

Biografia do Autor

Grasiele Marcolin, Faculdade Uniguaçu

Instituição: Uniguaçu FAESI. Formação acadêmica: Acadêmica concluinte do curso de Bacharelado em Enfermagem da Faculdade Uniguaçu. E-mail: grasielemarcolin@gmail.com.

Tayna Cristine Marcolin, Faculdade Uniguaçu

Instituição: Uniguaçu FAESI. Formação acadêmica: Acadêmica concluinte do curso de Bacharelado em Enfermagem da Faculdade Uniguaçu. E-mail: marcolintayna22@gmail.com

Denise Pavei, Faculdade Uniguaçu

Instituição: Uniguaçu FAESI. Formação acadêmica: Bióloga, Mestre em Genética e Melhoramento pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), Orientador(a) do presente trabalho. E-mail: denisepvfig@hotmail.com 

Silviane Galvan Pereira, Faculdade Uniguaçu

Instituição: Uniguaçu FAESI. Formação acadêmica: Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde pela USP, Professora da Disciplina de Seminário e Monografia II da Faculdade Uniguaçu. E-mail: sil_galvan@hotmail.com.

Beatris Tres, Faculdade Uniguaçu

Instituição: Uniguaçu FAESI. Formação acadêmica: Graduação em Enfermagem pela Faculdade União das Américas (2007). Especialista em Unidade de Terapia Intensiva pela Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde de União da Vitoria. Pós-Graduação Latu Sensu em Saúde do Idoso e Gestão em saúde, pela Faculdade Intervale. Experencia em atuação em saúde mental, saúde pública, urgência e emergência e docente de estágios curricular com ênfase em Administração em Enfermagem, atuando. Atualmente é coordenadora de Curso de Enfermagem e docente na Faculdade de Ensino Superior de São Miguel do Iguaçu UNIGUAÇU. E-mail: beatriss.tres@hotmail.com

Downloads

Publicado

14/06/2022

Como Citar

Marcolin, G. ., Marcolin, T. C. ., Pavei, D. ., Pereira, S. G. ., & Tres, B. . (2022). PERCEPÇÃO DOS AGRICULTORES EXPOSTOS AOS AGROTÓXICOS EM SEU AMBIENTE DE TRABALHO NO MUNICIPÍO DE SERRANÓPOLIS DO IGUAÇU-PR. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(5), 2631–2646. https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5787