PERDA DENTAL PRECOCE EM ODONTOPEDIATRIA: ETIOLOGIA, POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS E OPÇÕES TERAPÊUTICAS

Autores

  • Amanda Barbosa Munhaes Universidade Brasil
  • José Antonio Santos Souza Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5622

Palavras-chave:

Dente Decíduo. Perda de Dente. Diagnóstico. Tratamento.

Resumo

A dentição decídua exerce funções de mastigação, fonação, deglutição e estética. Além disso, esses dentes são responsáveis pela manutenção dos espaços para os dentes permanentes. Dessa forma, os dentes decíduos evitam problemas como a diminuição do perímetro do arco, as migrações dentárias e a perda de espaço. Por essa razão, a perda desses dentes pode ocasionar uma alteração na oclusão da criança. Portanto, o objetivo desse estudo foi realizar uma Revisão de Literatura Narrativa a fim de discutir sobre a perda precoce dos dentes decíduos, destacando-se a sua etiologia, possíveis consequências e opções terapêuticas. A perda de um dente decíduo é considerada precoce ou prematura quando ocorre, pelo menos, um ano antes da sua esfoliação normal ou após a comprovação radiográfica de que o sucessor permanente ainda está aquém do estágio seis de Nolla, isto é, com a formação coronária completa e a formação radicular já iniciada. Os seus principais fatores etiológicos são: cárie dentária, restaurações inadequadas, anquiloses, traumatismos, anomalias de desenvolvimento e reabsorções precoces das raízes dos dentes decíduos. O tratamento mais ideal é o aparelho mantenedor de espaço. A sua escolha é baseada nas necessidades individuais da criança, assim como a sua idade e o grau de colaboração do paciente. Com o presente trabalho, pode-se concluir que, práticas e métodos educativos e preventivos devem ser empregadas para que a perda precoce de dentes decíduos seja reduzida e, caso aconteça, mantenedores de espaço devem ser instalados para prevenir possíveis consequências desfavoráveis.

Biografia do Autor

Amanda Barbosa Munhaes, Universidade Brasil

Graduanda em Odontologia na Universidade Brasil. Instituição: Universidade Brasil, Campus Fernandópolis. E-mail: amanda.b_munhaes@hotmail.com

José Antonio Santos Souza, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Graduação em Odontologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2011), Mestrado em Ciência Odontológica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2014), Especialização em Odontopediatria pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2016) e Doutorado em Ciência Odontológica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2018). Instituição: Universidade Brasil, Campus Fernandópolis. E-mail: jose.ssouza@universidadebrasil.edu.br

Downloads

Publicado

31/05/2022

Como Citar

Munhaes, A. B. ., & Souza, J. A. S. . (2022). PERDA DENTAL PRECOCE EM ODONTOPEDIATRIA: ETIOLOGIA, POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS E OPÇÕES TERAPÊUTICAS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(5), 2135–2149. https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5622

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)