SÍFILIS CONGÊNITA NO BRASIL: UM PANORAMA EPIDEMIOLÓGICO

Autores

  • Maria Carolina Rodrigues de Carvalho Universidade de Vassouras
  • Artur Barreto dos Santos Universidade de Vassouras
  • Gabriel da Silva Robert Universidade de Vassouras
  • João Pedro de Oliveira Coutinho Universidade de Vassouras
  • Oswaldo Aparecido Caetano Universidade de Vassouras

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5331

Palavras-chave:

Sífilis. Congênita. Sintoma.

Resumo

 A sífilis é uma doença bacteriana causada pelo Treponema pallidum, cujos sintomas dependem da sua fase de evolução: primária, secundária, terciária ou congênita. A infecção congênita acontece devido a passagem da bactéria por via transplacentária, e as demais se dão por transmissão sexual. Os desfechos graves que a sífilis congênita provocam se tornam importantes e desafiadores para as políticas públicas no Brasil, ainda que o diagnóstico precoce e o tratamento correto possam evitar a transmissão vertical. A sífilis congênita, por sua vez, pode levar ao abortamento, baixo peso ao nascer e prematuridade. O estudo tem por objetivo analisar variáveis relevantes no que tange a sífilis congênita no Brasil, como internações, óbitos, AIH por etnia e faixa etária e média de permanência hospitalar, no período de Junho/2016 a Junho/2021, a partir de uma pesquisa do tipo observacional, transversal e retrospectivo através de um levantamento de dados do Departamento de Informação e Informática do SUS (DATASUS).  A coleta de dados permitiu inferir que o número de crianças nascidas com sífilis continua crescendo no território brasileiro, com números de 89438 internações por sífilis congênita nos últimos 5 anos, além de 181 óbitos nesse mesmo tempo. Também foi possível inferir que aproximadamente 40% da população com AIH aprovada é de etnia parda, e considerando a idade, os menores de 1 ano de idade são responsáveis por 99% dessas autorizações de internação hospitalar. Tal contexto mostra como a assistência pré-natal é precária no âmbito nacional e o sistema é falho com mães e filhos, sendo diretamente relacionado com os níveis crescentes da incidência de sífilis congênita no Brasil.

Biografia do Autor

Maria Carolina Rodrigues de Carvalho, Universidade de Vassouras

Discentes da Universidade de Vassouras. Email: mariacarolwecarv@gmail.com.

Artur Barreto dos Santos, Universidade de Vassouras

Discentes da Universidade de Vassouras.

Gabriel da Silva Robert, Universidade de Vassouras

Discentes da Universidade de Vassouras.

João Pedro de Oliveira Coutinho, Universidade de Vassouras

Discentes da Universidade de Vassouras.

Oswaldo Aparecido Caetano, Universidade de Vassouras

Docente da Universidade de Vassouras.

Downloads

Publicado

31/05/2022

Como Citar

Carvalho, M. C. R. de ., Santos, A. B. dos, Robert, G. da S. ., Coutinho, J. P. de O. ., & Caetano, O. A. . (2022). SÍFILIS CONGÊNITA NO BRASIL: UM PANORAMA EPIDEMIOLÓGICO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(5), 878–889. https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5331