A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO DO RISCO DE DESASTRES NATURAIS: UM OLHAR SOBRE A REALIDADE MOÇAMBICANA

Autores

  • Manuel Pastor Francisco Conjo Universidade Federal de Viçosa
  • David Benjamim Chichango Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente
  • Paulo de Paula e Souza Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente
  • Hortência Luísa Tole Tambo Foquiço Universidade Pedagógica, Delegação da Beira – Unilicungo
  • Isaura Viriato Samuel Matlava Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente
  • Octávio Manuel de Jesus Universidade Pedagógica de Maputo

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i12.3483

Palavras-chave:

Comunicação. Risco. Desastres naturais. Moçambique.

Resumo

Considerando as situações vivenciadas face aos desastres naturais e a insegurança gerada pelos factores de risco em Moçambique, este artigo busca responder a questão: Qual é a importância da comunicação de risco na gestão dos desastres naturais em Moçambique? Discute-se o risco de desastres naturais como uma das principais preocupações das instituições ligadas à gestão de desastres naturais, a gestão de risco e a relação com a comunicação para a compreensão da comunicação de risco. Diante disso, objectivo geral é analisar como as práticas da comunicação de risco de desastres naturais se revelam no contexto moçambicano, incluindo a construção, implementação e importância de sistemas de informação e comunicação sobre o risco de desastres naturais em Moçambique. Para a materialização dos objectivos optou-se pela abordagem qualitativa aplicando o método de revisão bibliográfica da literatura científica sobre riscos, vulnerabilidade, desastres naturais, comunicação do risco incluindo pesquisa em documentos que tratam de matéria ligada a gestão de desastres naturais na República de Moçambique. Realizado o trabalho, os resultados mostram que a comunicação do risco de desastres naturais pode ser efectuada de forma escrita (jornais, cartas, relatórios, panfletos, etc.); verbal (conversas, apresentações, debates, etc.) ou não-verbal/ visual (filmes, gráficos, linguagem gestual, expressões faciais, entre outras). Os canais de comunicação ou são directos (face-to-face) ou indirectos (mediados) e actualmente são aplicados na comunicação do risco de desastres os Sistemas de Informação Geográfica. Moçambique possui um sistema de comunicação de riscos de desastres naturais dirigido pelo Instituto Nacional de Gestão do Risco de Desastres (INGD), que funciona em conexão com o Instituto Nacional de Meteorologia, com as comunidades locais e com a comunicação social. A comunicação do risco de desastres naturais assume hoje importante papel na gestão dos desastres naturais com várias finalidades e funções ao longo do ciclo do desastre, designadamente a prevenção/ preparação, aviso, intervenção e recuperação e, idealmente, deve abranger todos os processos de gestão do risco, desde a formulação do conhecimento, à decisão e implementação de acções.

Biografia do Autor

Manuel Pastor Francisco Conjo, Universidade Federal de Viçosa

Doutorando em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa – Minas Gerais –Instituição: Universidade Pedagógica de Maputo/Universidade Federal de Viçosa. Mestrado em Gestão Ambiental pela Universidade Pedagógica de Maputo – Moçambique. Bacharel e Licenciado em Ensino de Geografia pela Universidade Pedagógica de Maputo – Moçambique Técnico Superior em Higiene e Segurança no Trabalho e Meio Ambiente pela Ensine Moçambique. E-mail: pastorconjo007@gmail.com

David Benjamim Chichango, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente

Mestrando em Gestão Ambiental, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente, Universidade Pedagógica de Maputo, Moçambique. Prof. de Geografia, Licenciado em Ensino de Geografia, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente, Universidade Pedagógica de Maputo, Moçambique. Email: davidchitlhango@gmail.com

Paulo de Paula e Souza, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente

Mestrando em Gestão Ambiental, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente, Universidade Pedagógica de Maputo, Moçambique. Gestor. Licenciado em Gestão e Direito Privado. Unirsity of South Africa.  Pos- Graduação em Administração de Empresas, University of South Africa. E-mail: ppsouza@hotmail.com.

Hortência Luísa Tole Tambo Foquiço, Universidade Pedagógica, Delegação da Beira – Unilicungo

Licenciada em Gestão Ambiental, Planificação e Desenvolvimento Comunitário pela Universidade Pedagógica, Delegação da Beira – Unilicungo. Consultora Ambiental. E-mail: hortambo@gmail.com.

Isaura Viriato Samuel Matlava, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente

Mestranda em Gestão Ambiental, Faculdade de Ciências da Terra e Ambiente, Universidade Pedagógica de Maputo, Moçambique. Licenciada em Ciências Geológicas, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, Moçambique. Email: isauraviriatos@gmail.com.

Octávio Manuel de Jesus, Universidade Pedagógica de Maputo

Doutor em Ciências Pedagógicas, moçambicano, funcionário do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Membro de Júri, Supervisor e Arguente nas Defesas de Monografias, Dissertações em Havana-Cuba e Maputo- Moçambique. Supervisor das teses de Doutoramento em Moçambique. Docente na Universidade Pedagógica de Maputo (desde 2006), categoria Professor Auxiliar. E-mail: Octaviom2001@yahoo.es

Downloads

Publicado

30/12/2021

Como Citar

Conjo, M. P. F. ., Chichango, D. B. ., Souza, P. de P. e ., Foquiço, H. L. T. T. ., Matlava, I. V. S. ., & Jesus, O. M. de . (2021). A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO DO RISCO DE DESASTRES NATURAIS: UM OLHAR SOBRE A REALIDADE MOÇAMBICANA. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(12), 602–623. https://doi.org/10.51891/rease.v7i12.3483

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)