REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE ESTUDANTES DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR SOBRE LEITURA

Autores

  • Nathalie Sena da Silva Christian Business School
  • Diógenes José Gusmão Coutinho UFPE
  • Allyne Evellyn Freitas Gomes

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2699

Palavras-chave:

Alfabetização. Leitura. Repetência. Correção de Fluxo Escolar. Teoria das Representações Sociais.

Resumo

Os/as educandos/as carregam de modo subjacente aos comportamentos diante da leitura as concepções que têm sobre ela. Essas representações podem mudar conforme novas vivências. Esta pesquisa parte da hipótese que discentes em atraso escolar agem passivamente frente à leitura por terem representações ancoradas em ideias negativas sobre ela, baseadas em experiências desagradáveis, dificultando a alfabetização. Essa conjectura originou o objetivo deste estudo: compreender as representações sociais de leitura elaboradas por oito estudantes – não alfabetizados e repetentes – de uma turma de correção de fluxo da rede municipal do Recife. Nessa perspectiva, adotou-se como referencial teórico-metodológico a Teoria das Representações Sociais (TRS) pela preocupação com a interrelação entre sujeito e objeto e como é construído o conhecimento do senso comum. Realizou-se um estudo de caso como estratégia metodológica de investigação-ação, com abordagem qualitativa e modalidade etnográfica. Os instrumentos de produção de dados foram a observação participante, para verificação das relações do grupo com a leitura, e as entrevistas, para averiguação das transformações das representações. O exame dos dados pautou-se na análise de conteúdo. Os resultados revelaram quatro categorias: concepções ancoradas em aspectos positivos, concepções ancoradas em aspectos negativos, concepções ancoradas na escolarização e concepções ancoradas no letramento. Verificaram-se transformações nas representações devido às novas experiências pedagógicas. No final do ano não havia indicadores ancorados em ideias negativas. Conclui-se que mudanças nas representações impactaram positivamente na aprendizagem. Este estudo deixa sua contribuição ao abordar as relações entre as representações de um objeto (leitura) e a sua aprendizagem (alfabetização), impulsionando reflexões sobre às colaborações da TRS à educação, atribuindo um olhar psicossocial ao processo educativo e às dificuldades presentes nesse percurso.

Biografia do Autor

Nathalie Sena da Silva , Christian Business School

Mestre em Ciências da Educação pela Christian Business School. Especialista em PsicopedagogiaEscolar(Faculdade Joaquim Nabuco) e Pesquisa Avançada em Educação (Faculdade Alpha). Graduada em Pedagogia pela UFPE. Professora nas redes municipais de Igarassu-PE e de Recife-PE. E-mail: liesena1@yahoo.com.br https://orcid.org/0000-0002-5932-9666

Diógenes José Gusmão Coutinho, UFPE

Doutor em Biologia Vegetal pela UFPE. Professor Universitário. E-mail: gusmao.diogenes@gmail.com

Allyne Evellyn Freitas Gomes

Mestre em Psicologia pela UFPE. Professora universitária. E-mail: allyne.evellyn@gmail.com
https://orcid.org/0000-0002-6564-7249

Downloads

Publicado

31/10/2021

Como Citar

Silva , N. S. da ., Coutinho, D. J. G. ., & Gomes, A. E. F. . (2021). REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE ESTUDANTES DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR SOBRE LEITURA. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(10), 1799–1820. https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2699

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>