A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE A CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UM HOSPITAL DE ENSINO DA GRANDE SÃO PAULO

Autores

  • Ana da Conceição de Lima Andrade ENSP
  • Gilmara Furtado dos Reis Penteado Universidade de Mogi das Cruzes
  • Patricia do Prado Costa Braga Universidade de Mogi das Cruzes
  • Sheila Pereira Mendes Universidade Cruzeiro do Sul
  • Roseli Gomes Cavalini FuABC

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2498

Palavras-chave:

Cultura de segurança do Paciente. Qualidade. Enfermagem. Segurança do paciente.

Resumo

A perceção dos profissionais de saúde sobre a cultura de segurança do paciente em hospital de ensino da grande São Paulo. Trata-se de um projeto de intervenção cujo objetivo foi analisar a percepção do profissional da área de saúde, diante da cultura de segurança do paciente implantada. Aplicado na equipe multiprofissional de um hospital da grande São Paulo a partir do instrumento validado por REIS (2013) do qual se divide em duas partes: caracterização sociodemográfica e onze dimensões de cultura de segurança do paciente. As perguntas redigidas de forma afirmativas ou negativas obedecendo os critérios propostos na Escala Likert. A técnica empregada para facilitar a adesão e participação foi a disponibilidade computadores na entrada das unidades de internação e administração, bem como o envio de um link de preenchimento através da mídia social (WhatsApp). A amostra da pesquisa contou com a distribuição de 1015 questionários, como retorno de 772  (76%), o que representa adequada adesão dos participantes. Os resultados da pesquisa foram divulgados via intranet da instituição para todos da equipe multiprofisional, dividido em duas etapas: pontos fortes e pontos frágeis. Ressalta-se que diante dos resultados apresentados foram ainda enviadas propostas com ações de reforço e melhoria. Eis alguns dos principais resultados: a) Staffing 19% acreditavam que a instituição apresenta quantidade, suficiente de colaboradores para lidar com a carga de trabalho, contudo, 36% relataram que os colaboradores trabalham a mais do que o necessário, 50% referiram que a instituição utiliza mais colaboradores temporários do que o necessário, mesmo com a intencionalidade de que seja prestado um melhor atendimento e 33% consideraram que trabalham em modo de crise, em resposta ao alto  absenteísmo; b) Transferências internas e passagens de plantão - 32% afirmaram perder informações  durante as transferências internas do paciente, 31% apontaram as trocas de turno como problemáticas aos pacientes e 36% identificaram problemas frequentes ocorridos na troca de informação entre unidades; c) Respostas não punitivas aos erros - 31% possuem a percepção de seus erros são levantados contra eles, 29% informaram que quando há evento relatado, o colaborar fica em evidência, sendo a pessoa avaliada e não o problema; 21%  temem que erros cometidos sejam mantidos em seus arquivos pessoais. Considera-se que os resultados constituem-se oportunidades de melhoria e fortalecimento das ações de forma que a assistência à saúde seja com maior qualidade, minimizando os problemas existentes e futuramente ganhando maior maturidade na cultura de segurança do paciente.

Biografia do Autor

Ana da Conceição de Lima Andrade, ENSP

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Mogi das Cruzes (Bacharel em 2006). MBA em Executivo em Saúde pela Fundação Getulio Vargas- FGV (2016) Especialização de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente, pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca - ENSP, da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ ( 2020). Atualmente é Supervisora  de Enfermagem  da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM ) Hospital das clínicas Luzia de Pinho Melo. E-mail: ana.andrade@hclpm.spdm.org.br.

Gilmara Furtado dos Reis Penteado, Universidade de Mogi das Cruzes

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Mogi das Cruzes (Bacharel em 2006). MBA em Executivo em Saúde pela Fundação Getulio Vargas- FGV (2016) Especialização de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente,  pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca - ENSP, da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ ( 2020). Atualmente é Supervisora  de Enfermagem  da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM ) Hospital das clínicas Luzia de Pinho. E-mail:  Melo.gilmara.reis@hclpm.spdm.org.br

Patricia do Prado Costa Braga, Universidade de Mogi das Cruzes

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Mogi das Cruzes. Especialização de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente,  pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca - ENSP, da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ ( 2020). Atualmente é Gerente de Enfermagem  da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) Hospital das clínicas Luzia de Pinho Melo.E-mail: patricia.braga@hclpm.spdm.org.br

Sheila Pereira Mendes, Universidade Cruzeiro do Sul

Graduada em Enfermagem pela Universidade Cruzeiro do Sul (Bacharel em 2005). Especialista em enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva , pelo hospital Sírio Libanês (2007),Gestão em Enfermagem modalidade a distancia da Escola Paulista de Enfermagem - Pela Universidade Federal de São Paulo (2011) e MBA em Saúde e em Controle  de Infecção Hospitalar pela Faculdade Método de São Paulo (2015), Informatica em Saúde modalidade a distancia da Escola Paulista de Enfermagem, pela a Universidade Federal de São Paulo (2016).Especialização de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente,  pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca - ENSP, da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ ( 2020). Atualmente é Supervisora  de Enfermagem  da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM ) Hospital das clínicas Luzia de Pinho Melo. E-mail:sheila.mendes@hclpm.spdm.org.br

Roseli Gomes Cavalini, FuABC

Graduação em Enfermagem pela União para a Formação, Educação e Cultura do ABC (2001). Espeicalização enfermagem em cuidados pacientes críticos pela FuABC. MBA Gestão em Saúde pela FGV. Atualmente é Diretora de enfermagem - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM ) Hospital das clínicas Luzia de Pinho Melo. E-mail:roseli.gomes@hclpm.spdm.org.br.

Downloads

Publicado

30/10/2021

Como Citar

Andrade, A. da C. de L. ., Penteado, G. F. dos R. ., Braga, P. do P. C. ., Mendes, S. P. ., & Cavalini, R. G. . (2021). A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE A CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UM HOSPITAL DE ENSINO DA GRANDE SÃO PAULO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(10), 231–261. https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2498

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.