ENSINO REMOTO E ISOLAMENTO SOCIAL: POLÍTICAS DE CONTENÇÃO DA PANDEMIA QUE NÃO ASSISTEM ÀS DEMANDAS SOCIAIS DE GÊNERO E RAÇA

Autores

  • Bruno Luiz Silveira de Castro

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i6.1444

Palavras-chave:

Igualdade. Equidade. Justiça. Covid-19.

Resumo

Não é segredo para ninguém que a sociedade brasileira apresenta distinções quando ao acesso à dignidade e a cidadania. Achar que somente por ter um artigo na Constituição Federal brasileira que versa sobre todos serem iguais perante a lei é suficiente é ingenuidade ou mau-caratismo. Diversas políticas são propostas e a grande maioria delas não visam as diferenças entre as raças e os gêneros. Apesar de vários movimentos sociais chamarem a atenção para o assunto. Apesar da Agenda 2030 trazer objetivo e metas para o alcance da igualdade de fato através de políticas que observam as necessidades de cada um. É notório que medidas governamentais propostas emergencialmente não atendem as necessidades básicas de todos. Visto isso, este ensaio tem por objetivo demonstrar que ensino remoto e isolamento social são medidas políticas de contenção da disseminação da Covid-19, mas que não visam as diferenças entre gênero e raça da sociedade brasileira.

Biografia do Autor

Bruno Luiz Silveira de Castro

Estudante do Programa de Pós-Graduação em Práticas de Desenvolvimento Sustentável – Mestrado Profissional – Instituto de Florestas – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. E-mail: bruno.silveiracastro@hotmail.com

Downloads

Publicado

30/06/2021

Como Citar

Castro, B. L. S. de . (2021). ENSINO REMOTO E ISOLAMENTO SOCIAL: POLÍTICAS DE CONTENÇÃO DA PANDEMIA QUE NÃO ASSISTEM ÀS DEMANDAS SOCIAIS DE GÊNERO E RAÇA. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(6), 943–956. https://doi.org/10.51891/rease.v7i6.1444