EFEITO DA FISIOTERAPIA PÉLVICA NA QUALIDADE DE VIDA E PREVENÇÃO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM PACIENTES IDOSAS

Autores

  • Maristela Ferreira Dantas Faculdade ESAS
  • Ronaldo Nunes Lima Faculdade ESAS
  • Stefiny Martins de Castro Faculdade ESAS

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v10i6.14335

Palavras-chave:

Fisioterapia Pélvica. Incontinência Urinária. Pacientes Idosas.

Resumo

Introdução: A fisioterapia pélvica é uma especialidade voltada para o tratamento conservador da incontinência urinária em mulheres, reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia (COFFITO) desde 2011. Objetivo: Demonstrar a importância e eficácia da fisioterapia pélvica no tratamento da incontinência urinária em idosas, explorando diversas abordagens terapêuticas. Materiais e Métodos: Revisão bibliográfica baseada em artigos publicados entre 2018 e 2024, utilizando fontes como BVS, ScieLO e Google Acadêmico, e termos-chave como "Fisioterapia Pélvica", "Pacientes Idosas" e "Incontinência Urinária". Foram selecionadas 16 publicações relevantes que abordam a eficácia da fisioterapia pélvica em idosas. Resultados: Os estudos analisados demonstram que diferentes protocolos de tratamento, incluindo exercícios de fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico, eletroestimulação, biofeedback e terapia comportamental, são eficazes na melhoria da qualidade de vida e na prevenção da incontinência urinária em idosas. Conclusão: A fisioterapia pélvica, com suas diversas técnicas, é essencial para o tratamento conservador da incontinência urinária em idosas, proporcionando melhorias significativas na qualidade de vida dessas pacientes.

 

 

Biografia do Autor

Maristela Ferreira Dantas, Faculdade ESAS

Bacharel em fisioterapia, Faculdade ESAS. 

Ronaldo Nunes Lima, Faculdade ESAS

Enfermeiro Mestre. Faculdade ESAS. 

Stefiny Martins de Castro, Faculdade ESAS

Fisioterapeuta. Faculdade ESAS. 

Downloads

Publicado

2024-06-03

Como Citar

Dantas, M. F., Lima, R., & Castro, S. M. de. (2024). EFEITO DA FISIOTERAPIA PÉLVICA NA QUALIDADE DE VIDA E PREVENÇÃO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM PACIENTES IDOSAS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 10(6), 111–120. https://doi.org/10.51891/rease.v10i6.14335

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.