CIBERATIVISMO FEMINISTA NO BRASIL: A TRANSFORMAÇÃO DA ACEITAÇÃO DOS CORPOS FEMININOS DIVERSOS NO INSTAGRAM

Autores

  • Mariana de Castro Limeira Universidade Anhembi Morumbi (UAM).
  • Amália Costa Farias Universidade Anhembi Morumbi- UAM

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i5.1222

Palavras-chave:

Ciberativismo. Padrões de beleza. Instagram.

Resumo

Os padrões de beleza são conjuntos de normas estéticas que desejam definir como deve ser o corpo e a aparência das pessoas, especialmente das mulheres. O presente trabalho visa discutir o papel do Instagram na disseminação desses padrões e, em contrapartida, observar a crescente relevância do ciberativismo feminista na dissolução dos mesmos, tendo como pano de fundo o perfil movimento Corpo Livre, pioneiro em abordar a temática no Brasil. Para tanto, é discutida a origem dos ideais estéticos da sociedade brasileira, como eles se relacionam com as estruturas de poder patriarcais e quais são os mecanismos que fazem com que o Instagram seja relevante na perpetuação dessas normativas nos dias atuais. Por fim, são apresentados dados que mensuram o crescimento do perfil movimento Corpo Livre, discutindo como esse tipo de iniciativa atua para a transformação da aceitação dos corpos diversos femininos no Instagram.

Biografia do Autor

Mariana de Castro Limeira, Universidade Anhembi Morumbi (UAM).

Graduanda em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). E-mail: marianacastrolimeira@gmail.com.

Amália Costa Farias, Universidade Anhembi Morumbi- UAM

Mestre em Administração, Especialista em Marketing e Bacharel em Administração. Experiência de 12 anos como docente, lecionando em cursos de pós-graduação e graduação, nas áreas de negócios e comunicação.Lattes: http://lattes.cnpq.br/3805636940894782. E-mail: amalia.farias@anhembi.br.

Downloads

Publicado

31/05/2021

Como Citar

Limeira, M. de C. . ., & Farias, A. C. (2021). CIBERATIVISMO FEMINISTA NO BRASIL: A TRANSFORMAÇÃO DA ACEITAÇÃO DOS CORPOS FEMININOS DIVERSOS NO INSTAGRAM. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(5), 621–634. https://doi.org/10.51891/rease.v7i5.1222