ANÁLISE DO DESMATAMENTO NOS PERÍODOS DE 2016 A 2020 NA MESORREGIÃO SUDESTE PARAENSE

Autores

  • Renato Souza de Miranda Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Ludmila da Rocha Nogueira Universidade Federal Rural da Amazônia.
  • Mateus Santana Rodrigues Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Alexandra Monteiro Alves Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Merilene Silva Costa Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Maicon Fernandes Amador Universidade Federal Rural da Amazônia

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i5.1209

Palavras-chave:

Desmatamento.  Altamira. São Félix do Xingu. Floresta. Pastagens.

Resumo

: A Amazônia é a maior reserva de biodiversidade do mundo, possui influência na estabilidade climática do Brasil e do mundo. Dessa forma, a região amazônica sempre foi alvo de ações extrativistas, como exemplo as “drogas do sertão” e extração do látex no ciclo da borracha. Atualmente a crescente busca por áreas de cultivos e pastagens gera grande perda de área verde através do desmatamento. Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo identificar os motivos e os focos de desmatamento no decorrer de 5 anos, dos municípios de Altamira e São Félix de Xingu, que são os municípios paraenses que registraram as maiores taxas de desmatamento nos últimos anos. Para a metodologia, foram realizadas pesquisas bibliográficas, além da coleta e análise de dados relativos às áreas desmatadas no decorrer dos anos de 2016 a 2020 nos municípios de Altamira e São Félix do Xingu. Esses dados foram obtidos através das plataformas Terrabrasilis,  Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e Mapbiomas, para a identificar o uso da terra e compreender as causas do desmatamento nesses municípios. Pôde-se notar que no período de 2016 a 2020, a taxa anual desmatada nos municípios de Altamira e São Félix do Xingu dobrou atingiu um aumento de cerca de 95%, o que é reflexo das práticas de derrubada da floresta nos últimos anos, por conta da extração de matéria-prima como madeira, minério, e uso da terra através da agricultura e pasto, entre outros fatores.

Biografia do Autor

Renato Souza de Miranda, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduando em Agronomia. Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia

Ludmila da Rocha Nogueira, Universidade Federal Rural da Amazônia.

Graduanda em Agronomia. Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia.

Mateus Santana Rodrigues, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduando em Agronomia. Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia

Alexandra Monteiro Alves, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduanda em Agronomia. Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia

Merilene Silva Costa, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduação em Engenharia Florestal (Universidade Federal Rural da Amazônia, 1994); Mestrado em Ciências Florestais (Universidade Federal Rural da Amazônia, 2000); Doutorado em Ciências Agrárias (Universidade Federal Rural da Amazônia, 2007).

Maicon Fernandes Amador, Universidade Federal Rural da Amazônia

Graduando em Agronomia. Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia.

Downloads

Publicado

31/05/2021

Como Citar

Miranda, . R. S. de ., Nogueira, L. da R. ., Rodrigues, M. S. ., Alves, A. M., Costa, M. S. ., & Amador, M. F. . (2021). ANÁLISE DO DESMATAMENTO NOS PERÍODOS DE 2016 A 2020 NA MESORREGIÃO SUDESTE PARAENSE. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(5), 498–517. https://doi.org/10.51891/rease.v7i5.1209