DETERMINAÇÃO DE CENTROS DE COR EM FIBRAS DE TIO2 E DE TIO2 CONTENDO PERCURSORES DE TUNGSTÊNIO USANDO O SISTEMA CIELA*B*

Autores

  • Luana Góes Soares da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS
  • Annelise Kopp Alves Universidade Federal do Rio Grande  do Sul

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i4.939

Palavras-chave:

Electrospinning, Sistema CieLa*b*, Centros de Cor; Propriedades Ópticas.

Resumo

Propriedades ópticas dizem respeito à resposta de um material à interação com radiação eletromagnética, por exemplo, luz ultravioleta e visível, calor, raios X, ondas de rádio, raios gama e radiação infravermelha. Cada uma dessas variedades se distingue pela frequência de oscilação dos campos. A luz visível se concentra numa pequena região do espectro eletromagnético, mais especificamente na faixa que fica entre 0,4 μm a 0,7 μm. A radiação próxima ao limite inferior tem aparência violeta e radiação próxima ao limite maior tem aparência avermelhada. Quando a luz interage com um sólido, uma parte da radiação é transmitida através do meio, uma parte é absorvida e uma parte é refletida na interface. Materiais capazes de transmitir a luz com pouca absorção e reflexão são transparentes. Materiais capazes de transmitir luz, mas de maneira difusa, dispersa no interior do material, são translúcidos e materiais opacos são impenetráveis à transmissão de luz visível. A absorção ou emissão de radiação eletromagnética pode estar ligada a transições de elétrons, que ocorre devido a existência de diferentes estados entre níveis de energia. Neste trabalho, examinamos a percepção visual das diferentes cores, quando da mistura de percursores de tungstênio (H2WO4 e Na2WO4.2H2O) com o TiO2. As fibras de TiO2, TiO2/WO3 e de TiO2/Na2WO4.2H2O foram obtidas por electrospinning e, caracterizadas por difração de raios X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e testes colorimétricos. Os resultados apontam que as propriedades ópticas foram influenciadas pela temperatura de calcinação e intensificaram a absorção de luz pelas fibras.

Biografia do Autor

Luana Góes Soares da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Formação acadêmica mais alta: Doutora em Engenharia- Área de Concentração: Ciência e Tecnologia dos Materiais Instituição de atuação atual: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Email: lugoes.soares@gmail.com.

Annelise Kopp Alves, Universidade Federal do Rio Grande  do Sul

Formação acadêmica mais alta: Doutora em Engenharia- Área de Concentração: Ciência e Tecnologia dos Materiais Instituição de atuação atual: Universidade Federal do Rio Grande  do Sul. Email: annelise.alves@ufrgs.br.

Downloads

Publicado

30/04/2021

Como Citar

Silva, L. G. S. da ., & Alves, A. K. . (2021). DETERMINAÇÃO DE CENTROS DE COR EM FIBRAS DE TIO2 E DE TIO2 CONTENDO PERCURSORES DE TUNGSTÊNIO USANDO O SISTEMA CIELA*B*. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(4), 1–14. https://doi.org/10.51891/rease.v7i4.939