O EFEITO DO MÉTODO CANGURU SOBRE OS PARÂMETROS CARDIORRESPIRATÓRIOS E SINTOMATOLOGIA DA DOR EM NEONATOS PREMATUROS

Autores

  • Izabele Bassani Faculdade de Mecidina de Botucatu
  • Joice Fernanda Candido Faculdade de Mecidina de Botucatu
  • Priscila Assumpção de Souza Faculdade de Mecidina de Botucatu
  • Viviana Rugolo Oliveira e Silva Faculdade de Mecidina de Botucatu
  • Letícia Cláudia de Oliveira Antunes Faculdade de Mecidina de Botucatu
  • Ligia Maria Suppo Rugolo Faculdade de Mecidina de Botucatu

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v9i2.8603

Palavras-chave:

Neonato. Método Canguru. Recém-nascidos. Dor.

Resumo

Introdução: O método canguru (MC) é um recurso de assistência humanizada com vários benefícios nas situações estressantes e dolorosas do prematuro em UTI neonatal, porém não está estabelecido seu efeito fisiológico imediato na ausência de procedimento doloroso ou estressante. Objetivo: Avaliar os parâmetros cardiorrespiratórios e escala de dor em prematuros da UTIN durante a realização do método canguru. Método: Estudo observacional tipo antes e depois, com recém-nascidos prematuros internados na UTIN do HC da Faculdade de Medicina de Botucatu/SP - UNESP, no período de julho a novembro de 2022. Foi avaliado o efeito do MC na frequência cardíaca, frequência respiratória, saturação periférica de oxigênio e sinais de dor pela escala NFCS em 3 momentos: antes, após 10 e 60 minutos de realização do método. Os dados foram comparados nos 3 momentos de avaliação por meio de análise de variância univariada para medidas repetidas, com significância em 5%. Resultados: Foram avaliados 32 prematuros com idade gestacional média de 30 semanas e média de peso ao nascer de 1480g.  No dia da realização do MC 40% recebiam assistência respiratória não invasiva. Após 10 minutos do MC houve significativa redução da FC, FR e pontuação da NFCS, bem como aumento da saturação de O2. Esses efeitos benéficos persistiram com 60 minutos, exceto a FC. Dos 13 prematuros que apresentavam sinais de dor antes do MC, apenas um persistiu aos 10 minutos de MC e nenhum aos 60 minutos. Conclusão: Houve benefícios imediatos do método canguru nos parâmetros cardiorrespiratórios e na dor de prematuros.

Biografia do Autor

Izabele Bassani, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Graduação em Fisioterapia – Faculdade Anhanguera (2021) Especialização em Saúde da Criança e Adolescente Faculdade de Medicina de Botucatu (2022) 

Joice Fernanda Candido, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Graduação em Fisioterapia, Faculdade Marechal Rondon (2019) Especialização em Saúde da Criança e Adolescente – Faculdade de Medicina de Botucatu (2022). 

Priscila Assumpção de Souza, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Graduação em Fisioterapia – Faculdade Marechal Rondon (2008) Fisioterapeuta da UTIN do HCFMB (UNESP). 

Viviana Rugolo Oliveira e Silva, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Graduação em Fisioterapia – Universidade Anhanguera (2008) Fisioterapeuta da UTIN do HCFMB (UNESP) 

Letícia Cláudia de Oliveira Antunes, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Fisioterapeuta e Doutora em pediatria / Supervisora do Serviço de Reabilitação do HC UNESP Docente da Faculdade Marechal Rondon 

Ligia Maria Suppo Rugolo, Faculdade de Mecidina de Botucatu

Graduação em Medicina, UNICAMP, Prof. Associada do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Botucatu (UNESP) 

Downloads

Publicado

2023-02-28

Como Citar

Bassani, I. ., Candido, J. F. ., Souza, P. A. de ., Silva, V. R. O. e ., Antunes, L. C. de O. ., & Rugolo, L. M. S. . (2023). O EFEITO DO MÉTODO CANGURU SOBRE OS PARÂMETROS CARDIORRESPIRATÓRIOS E SINTOMATOLOGIA DA DOR EM NEONATOS PREMATUROS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 9(2), 1027–1035. https://doi.org/10.51891/rease.v9i2.8603

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.