COMPARAÇÃO ENTRE O CPM DE NOVILHAS PRECOCE COM A TAXA DE PRENHEZ NA IATF DURANTE A ESTAÇÃO DE MONTA 2020/2021

Autores

  • Fátima Renata dos Santos Lima Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU
  • Karla Priscila de Oliveira Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7391

Palavras-chave:

Taxa de prenhez. CPM. Novilhas. Nelore.

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar a taxa de prenhez com o CPM de novilhas precoces da raça nelore puro por origem (PO), durante o programa de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF). Através da comparação entre as notas atribuídas a cada animal nas categorias e a taxa de prenhez. Foram utilizados para o experimento 356 novilhas precoces com idade média de 14,6 meses, pertencentes a uma propriedade localizada em um município do estado de Rondônia, criadas em regime extensivo, divididas em três lotes e submetidas ao mesmo protocolo de IATF (D0 2mg de benzoato de estradiol + implante de dispositivo intravaginal bovino com 1,0 g de progesterona, D7 retirada do implante +  cipionato de estradiol 0,5mg + 200 UI eCG + Cloprostenol 1,6 ml, D9 IATF). O lote de novilhas I continha n=116 animais, lote II n=140 e lote III n=100. A taxa total de prenhez por lote foi respectivamente de 76,72% (89:116), 75,71% (106:140) e 62% (100:62).

 

Biografia do Autor

Fátima Renata dos Santos Lima, Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU

Bacharelado em Medicina Veterinária pelo Centro Universitário Maurício de Nassau de Cacoal - UNINASSAU. 

Karla Priscila de Oliveira, Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU

Professora Orientadora: Docente do Centro Universitário Maurício de Nassau de Cacoal - UNINASSAU.

Downloads

Publicado

12/11/2022

Como Citar

Lima, F. R. dos S. ., & Oliveira, K. P. de . (2022). COMPARAÇÃO ENTRE O CPM DE NOVILHAS PRECOCE COM A TAXA DE PRENHEZ NA IATF DURANTE A ESTAÇÃO DE MONTA 2020/2021. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(10), 4153–4162. https://doi.org/10.51891/rease.v8i10.7391