A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DA REDE FEDERAL FACE A DIVERSIDADE ÉTNICA E CULTURAL

Autores

  • Amanda Karine Monteiro Lima Universidade Federal de Roraima – PPGANTS
  • Francisco Alves Gomes Universidade Federal de Pernambuco – PPGA/UFPE

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6335

Palavras-chave:

Educação profissional e tecnológica. Educação do campo. Educação indígena. Relações de poder.

Resumo

Trata-se de estudo que versa sobre a educação profissional e tecnológica – EPT proposto pela Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, também conhecida por Rede Federal, face a diversidade ilustrada, especificamente, pelas vértices da educação do campo e da educação escolar indígena, tendo como público-alvo os alunos e as alunas indígenas e não indígenas provenientes do contexto rural. Objetiva-se analisar a política de educação profissional e tecnológica no âmbito da educação do campo e da educação escolar indígena face ao habitus cultivado no sistema de ensino profissional e tecnológico, bem como compreender como a educação profissional e tecnológica se organiza e como deve objetivar a prática docente e curricular no espaço político e ideológico repleto de demandas vinculadas as idiossincrasias típicas, que acionam sempre que possível, enigmas da ruralidade e da indianidade dentro dos limites territoriais e geográficos que se apresentam. Nestes termos, parte-se de uma pesquisa essencialmente bibliográfica atrelado à história e teorias antropológicas, conectadas à observação participante no âmbito da pesquisa de campo, tendo como subsídio técnico e metodológico a entrevista não diretiva, em um embasamento teórico e epistemológico da educação pautado nos fragmentos conceituais de autores clássicos e contemporâneos da área. A partir desse encaminhamento, aduz-se que a concepção educativa e matriz curricular adotada pela Rede Federal face a diversidade étnica e cultural fundamentam-se, em parte, nos nortes pedagógicos típicos da lógica educacional urbana. Isto é, os pilares da concepção de educação do campo e indígena não estão sendo edificados a partir de práticas capazes de materializar os objetivos mais amplos almejados pelo movimento social de trabalhadores camponeses e entidades indígenas, para formação dos membros das respectivas organizações e para as futuras gerações.

Biografia do Autor

Amanda Karine Monteiro Lima, Universidade Federal de Roraima – PPGANTS

Psicóloga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima – IFRR. Mestre em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Roraima – PPGANTS/UFRR. E-mail: amandakml@hotmail.com.

Francisco Alves Gomes, Universidade Federal de Pernambuco – PPGA/UFPE

Professor do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Roraima – Cap/UFRR. Doutor em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Pernambuco – PPGA/UFPE. E-mail: francisko_ag@yahoo.com.br.

Downloads

Publicado

30/07/2022

Como Citar

Lima, A. K. M. ., & Gomes, F. A. . (2022). A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DA REDE FEDERAL FACE A DIVERSIDADE ÉTNICA E CULTURAL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(7), 139–156. https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6335