PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE INTOXICAÇÕES EXÓGENAS EM CERES - GO NO PERÍODO DE 2008 A 2017

Autores

  • Weslen Lima Verdiono Universidade Estadual de Goiás
  • Aline Alves de Amorim Universidade Estadual de Goiás
  • Lorena Timoteo Baptista Universidade Estadual de Goiás
  • Maíza Gomes da Cruz Universidade de Brasília
  • Nayra Oliveira Dias Silva Universidade Estadual de Goiás
  • Walter Dias Júnior Universidade Estadual de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5621

Palavras-chave:

Intoxicação. Medicamentos. Agrotóxico. Suicídio.

Resumo

A intoxicação exógena ocorre quando o indivíduo entra em contato com alguma substância que cause prejuízo para a homeostase corporal. Os principais intoxicantes encontrados são medicamentos, agrotóxicos, raticidas, produtos químicos de limpeza doméstica, entre outros. A intoxicação por esses agentes pode contribuir para o surgimento de algum agravo para saúde da população. No Brasil, o governo classifica a intoxicação exógena como uma doença ou agravo de notificação compulsória. Objetivo: Investigar o perfil epidemiológico de intoxicações exógenas no município de Ceres-GO. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo, de abordagem quantitativa de análise documental, pela coleta de dados de intoxicação a ser realizada no SINAN Net, entre os anos de 2008 e 2017. o processamento dos dados e a criação dos gráficos foram feitos no Microsoft Excel para demonstração dos valores em porcentagem das variáveis selecionadas. Resultados: Foram encontrados 537 casos com pico de notificações de 2011 a 2013, 35,8% dos casos ocorreram com morados de Ceres. O sexo feminino foi 16% mais acometido por intoxicações que o sexo masculino, e a faixa etária com maior número de casos compreendeu a idade de 15 a 49 anos. A circunstância de intoxicação com maior expressividade foi na tentativa de suicídio (54%) e o agente tóxico com maior número de ocorrências foi medicamentos com 47% do total. Na análise da escolaridade o campo mais preenchido no formulário foi o “Ignorados/brancos” totalizando 44,32% das ocorrências registradas no período estudado. Conclusão: Se faz necessário a elaboração de políticas públicas na prevenção de suicídios e promoção do uso racional de medicamentos. E uma campanha de conscientização de preenchimento do formulário de notificação voltada pra o profissional de saúde responsável.

Biografia do Autor

Weslen Lima Verdiono, Universidade Estadual de Goiás

Discente de graduação em Enfermagem - Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Email: weslen.verdiono@gmail.com.

Aline Alves de Amorim, Universidade Estadual de Goiás

Discente de graduação em Enfermagem - Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Email: amorima930@gmail.com.

Lorena Timoteo Baptista, Universidade Estadual de Goiás

Discente de graduação em Enfermagem - Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Email: lorena.baptista12@gmail.com.

Maíza Gomes da Cruz, Universidade de Brasília

Graduada em Farmácia – Universidade de Brasília (UnB) – Email: maizagc@gmail.com.

Nayra Oliveira Dias Silva, Universidade Estadual de Goiás

Graduada em Enfermagem - Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Email: nayradias-@hotmail.com.

Walter Dias Júnior, Universidade Estadual de Goiás

Docente e Pesquisador na Universidade Estadual de Goiás – Unidade Universitária de Ceres - Engenheiro Agrônomo-UFLA, Doutorado em Fisiologa Geral-USP – Email: walter.dias@ueg.com.

Downloads

Publicado

31/05/2022

Como Citar

Verdiono, W. L. ., Amorim, A. A. de ., Baptista, L. T. ., Cruz, M. G. da ., Silva, N. O. D. ., & Dias Júnior, W. . (2022). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE INTOXICAÇÕES EXÓGENAS EM CERES - GO NO PERÍODO DE 2008 A 2017. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(5), 2103–2121. https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5621

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)