A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NA ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Autores

  • Sabryna dos Santos Gonçalves Faculdade Unibras de Goiás
  • Leonardo Squinello Nogueira Veneziano Faculdade Unibras de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5462

Palavras-chave:

Escoliose. Fisioterapia. Tratamento.

Resumo

A escoliose é um desvio lateral da coluna e pode ser classificada em dois grupos: a escoliose funcional ou não estrutural e a escoliose morfológica ou estrutural. A escoliose idiopática é o tipo mais comum em adolescentes e crianças, prevalecendo em 80% dos casos de escoliose. Os desvios na coluna podem ser em forma de “C” ou “S” e eles podem ocorrer tanto para o lado esquerdo quanto para o lado direito. É mais comum no sexo feminino e se apresenta com mais frequência no pico da puberdade. O diagnóstico é feito por meio de exames de imagem, anamnese e testes específicos executados por um fisioterapeuta. Entre os métodos utilizados para tratar a escoliose estão: a cinesioterapia, a Reeducação Postural Global (RPG), a isostretching, o Pilates e o método Klapp. O tratamento fisioterapêutico serve para prevenir, melhorar a dor e aumentar a qualidade de vida do paciente, aprimorando o fortalecimento muscular, a mobilidade e a amplitude de movimento na coluna.

Biografia do Autor

Sabryna dos Santos Gonçalves, Faculdade Unibras de Goiás

Acadêmica do Curso de Fisioterapia da Faculdade Unibras de Goiás. E-mail: ss3016054@gmail.com.

Leonardo Squinello Nogueira Veneziano, Faculdade Unibras de Goiás

Professor do Curso de Fisioterapia da Faculdade Unibras de Goiás e orientador da pesquisa. E-mail: leonardo.veneziano@unibras.digital.com

 

Downloads

Publicado

31/05/2022

Como Citar

Gonçalves, S. dos S. ., & Veneziano, L. S. N. . (2022). A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NA ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(5), 1169–1178. https://doi.org/10.51891/rease.v8i5.5462

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)