FEBRE REUMÁTICA E SEU PERFIL EPIDEMIOLÓGICO NO BRASIL NOS ÚLTIMOS 5 ANOS

Autores

  • Antonio Victor de Souza Medrado Universidade de Vassouras
  • João Felipe Migueiz dos Santos Universidade de Vassouras
  • Simão Carlos Pereira Neto Universidade de vassouras
  • Lucas Rabelo Andrade Aranha Lobo Universidade de Vassouras
  • Lineker Pin Salles Universidade de Vassouras
  • Christianne Terra de Oliveira Azevedo nstituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas/FIOCRUZ

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.5125

Palavras-chave:

Febre Reumática. Faringoamgdalites. Epidemiologia.

Resumo

A faringoamigdalite é uma das causas mais frequentes de busca aos cuidados com a saúde. A febre reumática é uma complicação tardia inflamatória, não supurativa, da faringoamigdalite pelo Streptococcus β haemolyticus do grupo A, podendo acometer diferentes regiões do corpo. O objetivo do presente estudo foi analisar o perfil epidemiológico das internações por febre reumática no Brasil nos últimos 5 anos. Para realização deste estudo foram analisados dados epidemiológicos do DATASUS- Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) do Ministério da Saúde no período de janeiro de 2016 a dezembro de 2020. Os dados analisados sobre as internações por febre reumática foram o número de internações e óbitos estratificados pela faixa etária dos pacientes. Foi possível observar uma grande prevalência das internações por febre reumática, com um total de 10.458 e uma baixa mortalidade com apenas 256 óbitos. A faixa etária com o maior número de internações foi a de 50 a 59 anos e com maior mortalidade foi de 70 a 79 anos. Apesar da baixa mortalidade, as complicações da febre reumática são graves, principalmente as cardíacas. Desta forma é de suma importância que o diagnóstico precoce e tratamento adequado das faringoamigdalites sejam aprimorados para futuramente o número de complicações por febre reumática apresente uma queda e consequentemente suas internações e gastos de saúde com as mesmas.

Biografia do Autor

Antonio Victor de Souza Medrado, Universidade de Vassouras

Discente do Curso de Medicina da Universidade de Vassouras, Vassouras, Rio deJaneiro, Brasil. E-mail: antoniovmedrado@gmail.com.

João Felipe Migueiz dos Santos, Universidade de Vassouras

Discente do curso de Medicina da Universidade de Vassouras, Rio de Janeiro. 

Simão Carlos Pereira Neto, Universidade de vassouras

 Discente do curso de Medicina da Universidade de vassouras, Rio de Janeiro. 

Lucas Rabelo Andrade Aranha Lobo, Universidade de Vassouras

Discente do curso de Medicina da Universidade de Vassouras, Rio de Janeiro. 

Lineker Pin Salles, Universidade de Vassouras

 Discente do curso de Medicina da Universidade de Vassouras, Rio de Janeiro. 

Christianne Terra de Oliveira Azevedo, nstituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas/FIOCRUZ

 Mestre em pesquisa clínica pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas/FIOCRUZ. 

Downloads

Publicado

30/04/2022

Como Citar

Medrado, A. V. de S. ., Santos, J. F. M. dos ., Pereira Neto, S. C. ., Lobo, L. R. A. A. ., Salles, L. P. ., & Azevedo, C. T. de O. . (2022). FEBRE REUMÁTICA E SEU PERFIL EPIDEMIOLÓGICO NO BRASIL NOS ÚLTIMOS 5 ANOS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(4), 1175–1184. https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.5125

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.