UTILIZAÇÃO DA LINHA ARTERIAL NA MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA DO DOENTE CRÍTICO

Autores

  • Paulo Jorge Sabino Hospital José Joaquim Fernandes
  • Tânia Santos Hospital do Litoral Alentejano
  • Dulce Santiago Instituto Politécnico de Beja

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.4992

Palavras-chave:

Linha arterial. Monitorização hemodinâmica. Doente crítico.

Resumo

Enquadramento: Devido a uma considerável evolução tecnológica, a monitorização hemodinâmica realizada com recurso a dispositivos minimamente invasivos, como a linha arterial, a qual se tem mostrado como a referência na avaliação de pressão arterial invasiva, permite a obtenção de dados clínicos fidedignos, minimizando o grau de invasidade dos dispositivos clínicos, maximizando os ganhos em saúde. Objetivo: Analisar a evidência científica existente sobre utilização da linha arterial na monitorização hemodinâmica no doente crítico. Metodologia: Revisão sistemática da literatura (RSL), com análise de artigos publicados entre 2015 e 2022 nas bases PMC, PubMed, B-ON e EBSCO, com descritores MeSH e DeCS, sendo selecionados 14 artigos. Resultados: Os estudos evidenciaram que a utilização da linha arterial permite, para além de parâmetros hemodinâmicos diretos, como os valores de frequência cardíaca, pressão arterial e pressão arterial média, a obtenção de outros valores hemodinâmicos relevantes, sejam eles obtidos através de cálculo, como os valores de débito cardíaco e de volume sistólico, ou obtidos através da combinação entre métodos e dispositivos, como o índice cardíaco ou a compliance arterial, permitindo ainda colheitas sanguíneas frequentes, sem recurso a punções recorrentes. Conclusões: Ficou evidente que a linha arterial, pelo seu baixo grau de invasividade, facilidade de colocação e manuseamento, bem como a sua aplicabilidade clínica em vários campos, é, apesar das suas limitações, considerada atualmente como o dispositivo clínico referência na obtenção, tanto de valores seguros de pressão arterial, bem como de outros dados clínicos fidedignos para a estabilização hemodinâmica do doente em situação crítica.

Biografia do Autor

Paulo Jorge Sabino, Hospital José Joaquim Fernandes

RN, Enfermeiro de Cuidados Gerais na Medicina II Hospital José Joaquim Fernandes – ULSBA, EPE, Beja, Portugal. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2329-3072.

Tânia Santos, Hospital do Litoral Alentejano

RN, Mestre em Enfermagem. Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica no Serviço de Medicina Intensiva do Hospital do Litoral Alentejano - ULSLA, EPE. Santiago do Cacém, Portugal. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1546-4265

Dulce Santiago, Instituto Politécnico de Beja

RN, Doutorada em Enfermagem. Mestre em Ciências de Enfermagem, Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica. Professora Adjunta no IP Beja. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0988-6998

Downloads

Publicado

30/04/2022

Como Citar

Sabino, P. J. ., Santos, T. ., & Santiago, D. . (2022). UTILIZAÇÃO DA LINHA ARTERIAL NA MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA DO DOENTE CRÍTICO. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 8(4), 185–196. https://doi.org/10.51891/rease.v8i4.4992