CONHECIMENTO DOS RESPONSÁVEIS POR CRIANÇAS DE 0 A 12 ANOS ATENDIDAS EM UMA UBS DE RECIFE - PE ACERCA DE VIOLÊNCIA INFANTIL

Autores

  • Vandreany Cristina da Silva UNICAP
  • Nadielle Magdalla Pereira Gomes FAVENI
  • Michelle Cardoso Gomes UPE

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i12.3559

Palavras-chave:

Enfermagem. Saúde da Criança. Saúde da Família. Violência. Infantil. Psicologia Infantil.

Resumo

Objetivo: Identificar o nível de conhecimento dos responsáveis de crianças atendidas em uma UBS de Recife-PE sobre violência infantil. Método: Estudo descritivo, transversal, quantitativo. A amostra foi por conveniência e composta por 100 responsáveis de crianças atendidas na UBS Professor Romero Marques (Recife – PE). A pesquisa foi aprovada pelo CEP com parecer número 3.306.717. O instrumento utilizado foi um questionário contendo 23 questões, elaborado pelas autoras a partir de referencial teórico acerca do tema. Os resultados foram tabulados e analisados descritivamente com embasamento teórico- científico. Resultados: 60% da amostra reconhece a violência física como violência infantil, 62% afirmou não ser necessário bater para educar, 94% refere que crianças expostas a brigas familiares, tem maior probabilidade de se tornar um adulto agressor; 58% acredita que a criança está mais suscetível a sofrer violência na residência, 45% considera tapas e beliscões agressões pouco violentas, 85% entende que estupro é um ato apenas violento, assim como murros e chutes (86%). Conclusão: A violência infantil, apesar de ser um tema bastante explorado, ainda possui muito campo para pesquisa, pois, quando se discute o entendimento deste conceito com os responsáveis pela criança, ainda se observa muita inconsistência. Os pais, muitas vezes influenciados pela educação que receberam, pelo meio social e pelas influências externas, não veem alguns atos como violência contra a criança. Apesar de leis terem sido introduzidas a fim de melhor esclarecer tais questionamentos, dúvidas e fortalecer o ECA, ainda não há uma estratégia consolidada de educação popular em saúde, ou de políticas que protejam a criança do agressor. Por isto, é necessário que se façam mais estudos neste campo a fim de subsidiar dados para fortalecer e analisar os sistemas de enfrentamento da violência infantil.

Biografia do Autor

Vandreany Cristina da Silva, UNICAP

Graduada em Enfermagem. Pós- Graduanda em Gestão Hospitalar (UNICAP). Centro Universitário Estácio do Recife. E-mail: Vandreany.cristina@outlook.com.

Nadielle Magdalla Pereira Gomes, FAVENI

Bacharel em Enfermagem. Pós-graduanda em Enfermagem do trabalho (FAVENI). Centro Universitário Estácio do Recife.

Michelle Cardoso Gomes, UPE

Enfermeira Especialista em Saúde da Criança UPE. Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente UPE. Centro Universitário Estácio do Recife

Downloads

Publicado

30/12/2021

Como Citar

Silva, V. C. da ., Gomes, N. M. P., & Gomes, M. C. . (2021). CONHECIMENTO DOS RESPONSÁVEIS POR CRIANÇAS DE 0 A 12 ANOS ATENDIDAS EM UMA UBS DE RECIFE - PE ACERCA DE VIOLÊNCIA INFANTIL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(12), 1133–1143. https://doi.org/10.51891/rease.v7i12.3559

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.