RISCOS ASSOCIADOS AO ANTICONCEPCIONAL DE EMERGÊNCIA

Autores

  • Julison Andre Perreira Ferreira Universidade da Amazônia -UNAMA
  • Rosiane Arcanjo da Silva Universidade da Amazônia -UNAMA
  • Paulo Sérgio Ferreira de Lima Universidade da Amazônia - UNAMA

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2730

Palavras-chave:

Palavras-chave: Contraindicado. Mecanismo de ação. Pílula do dia seguinte. Riscos do uso do CE..

Resumo

O contraceptivo de emergência (CE), é uma substância hormonal composta por levonorgestrel, um progestágeno isolado, conhecido popularmente como pílula do dia seguinte, bastante utilizado no Brasil para evitar gravidez indesejada, esse medicamento deve ser administrado logo após o coito sexual ou no máximo em até 120 horas após o ato sexual. Embora esse método seja prático, o uso frequente pode levar a perda ou diminuição da eficácia, desencadeando problemas hormonais, e de infertilidade. Este estudo descreve o mecanismo de ação do CE, identicar riscos associados ao uso continuo e os seus efeitos adversos mais comuns. Trata-se de um estudo de revisão de literatura qualitativo descritivo, sobre os riscos associados ao uso de contracepção de emergência, realizados por meios de estudos e informações obtidas com pesquisas em fontes como artigos científicos. Os artigos utilizados para o desenvolvimento desse trabalho foram encontrados em bases de dados como sites, Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e o Google Acadêmico. O CE não tem um mecanismo de ação preciso, mas sabe-se que ele altera processos fisiológicos da fecundação. Previne a ocorrência da ovulação, interfere na fertilização, com o transporte do embrião para o útero, ou inibe a implantação no endométrio. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) relata que o CE tem alta concentração hormonal, seu uso em demasia pode prejudicar a fertilização do óvulo, em vista disso ele é contra indicado para mulheres que desejam engravidar futuramente e para grávidas que possuem riscos de doenças ginecológicas causadas por diferentes parceiros e também em paciente com risco de trombose vascular, tromboembolismo, diabéticos com complicação vascular, hipertensão descontrolada, doenças sanguíneas, pessoas obesas, mulheres que tem o fluxo menstrual em excesso. O CE é uma verdadeira bomba de hormônios é pode conter dez vez mais hormônios comparados ao contraceptivo convencional, o uso abusivo pode causar vários danos ao organismo feminino, bem como, efeitos adversos que envolvem além de náuseas e vômitos, efeitos tromboembólicos e outras reações tensão mamarias, hemorragia vaginal, fadiga, cefaleias, vertigens, astenia e dores na pélvica. Conclui-se, CE tem como função impedir uma possível gravidez indesejada após coito desprotegida possuindo assim suas vantagens e desvantagens. Contudo deve ser usado com cautela, já que o mesmo provoca uma sobrecarga hormonal no organismo feminino, gerando serias consequências para sua usuária, isso quando usada em excesso e sem conhecimento prévio, por ser um medicamento de fácil acesso.

 

 

Biografia do Autor

Julison Andre Perreira Ferreira, Universidade da Amazônia -UNAMA

Acadêmico de Farmácia da Universidade da Amazônia -UNAMA.

Rosiane Arcanjo da Silva, Universidade da Amazônia -UNAMA

Bacharelado em farmácia – Universidade da Amazônia -UNAMA. E-mail: rosianearcanjo@gmail.com.

Paulo Sérgio Ferreira de Lima, Universidade da Amazônia - UNAMA

Docente na Universidade da Amazônia (Unama). Mestrado em biociencias (UFOPA). Especialização em farmacologia clínica e prescrição farmacêutica (FACES). Graduado em Bacharel em Farmácia.

Downloads

Publicado

01/11/2021

Como Citar

Ferreira, J. A. P. ., Silva, R. A. da ., & Lima, P. S. F. de . (2021). RISCOS ASSOCIADOS AO ANTICONCEPCIONAL DE EMERGÊNCIA. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(10), 2057–2066. https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2730