DISCURSO POLÍTICO: LEITURAS E INFERÊNCIAS

Autores

  • Marilurdes Menezes de Lima Universidade Del Norte no Paraguai
  • Diogenes José Gusmão Coutinho Universidade Federal de Pernambuco- UFPE

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i8.2078

Palavras-chave:

Ensino. Leitura. Inferências. Discurso Político. Persuasão. Poder.

Resumo

O presente artigo apresenta abordagens bibliográficas de autores que discorrem acerca de discursos políticos, como eram desenvolvidos antes e agora, qual objetivo dos mesmos e como as pessoas viam e refletiam sobre tais ações pretendidas pelos políticos. O artigo desenvolve a metodologia qualitativa e bibliográfica de estudiosos que discutem o poder do discurso político como forma de persuadir o eleitor, objetivo esse que prevalecem até hoje. O discurso político é um ato que leva o ser humano (político) a mascarar uma fala que tem como objetivo persuadir o leitor/ouvinte (eleitor) que por sua vez busca analisar as propostas de trabalho apresentadas em discurso público em períodos eleitorais para que o candidato (político) seja eleito. Não se pode negar que as propostas enchem os olhos dos eleitores que ouvem e criam ilusões com as possíveis soluções para os problemas que afligem tantos cidadãos brasileiros. Desde que o mundo existe, há a questão política. Antes o poder que muitos buscam era concentrado em apenas uma pessoa que nomeava seus súditos e governava o lugar ou nação. A política e o discurso político sempre existiram e vai continuar existindo, antes o eleitor não tinha opinião, sua vontade era ignorada, hoje o discurso viabiliza mais o eleitor, pois a liberdade de expressão e muitas outras conquistas levam o eleitor a refletir melhor na escolha de seu candidato, ainda se tem pessoas que são submissas a seus candidatos. Hoje o poder de persuasão não é tão forte quanto antes. É preciso sim, convencer o eleitor, fazer com que ele seja um disseminador das ideias que o seu candidato defende, mas com segurança de que as propostas de trabalho possam ser postas em prática realmente, uma vez que as eleições ocorrem de quatro em quatro anos, e os problemas vão se acumulados e muitas vezes são esquecidos, para serem lembrados no próximo período eleitoral. Este artigo busca a compreensão, por meio de Arendt, da diferenciação por ele estabelecida entre a fala pública referente à dominação e o discurso político e os conceitos de Patrick Charaudeau à respeito das imagens dos atores políticos entre outros conceitos de estudiosos acerca do discurso político.

Biografia do Autor

Marilurdes Menezes de Lima, Universidade Del Norte no Paraguai

Mestre em Educação pela UniNorte Universidade Del Norte no Paraguai (Py), professora de Língua Portuguesa da Escola EREM, Escola Estadual Benigno Pessoa de Araújo, da Escola Municipal Capela de São Sebastião e do Colégio Ágape na rede privada, na cidade de Goiana do estado de Pernambuco, participante do VII CONEDU - ONLINE - VII Congresso Nacional de Educação. 

Diogenes José Gusmão Coutinho, Universidade Federal de Pernambuco- UFPE

Doutor em biologia pela UFPE. E-mail: prof.diogenesgusmao@gmail.com.

Downloads

Publicado

14/09/2021

Como Citar

Lima, M. M. de . ., & Coutinho, D. J. G. . (2021). DISCURSO POLÍTICO: LEITURAS E INFERÊNCIAS. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(8), 967–980. https://doi.org/10.51891/rease.v7i8.2078

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>