DIAGNÓSTICO DA ATETOSE POR TÉCNICAS DE NEUROIMAGEM: ESTUDOS DE ANATOMIA E PARALISIA CEREBRAL

Autores

  • André Luiz dos Santos Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação

DOI:

https://doi.org/10.51891/rease.v7i6.1365

Palavras-chave:

Diagnóstico. Paralisia cerebral. Sistema nervoso central.

Resumo

A ocorrência de Paralisia Cerebral pode desencadear numa criança alterações do movimento, de postura, do equilíbrio, da coordenação e do tônus muscular, prejudicando o desenvolvimento neuropsicomotor normal. Atetose é um termo que descreve um tipo particular de movimento comum a pessoas com condições como a doença de Huntington e outras que afetam o sistema nervoso central. Para o diagnóstico correto da patologia, vários exames podem ser utilizados, no entanto, os exames de neuroimagem, como ultrassonografia transcraniana (UTC), Ressonância Magnética (RM) ou tomografia computadorizada (TC), para verificar se há tumores ou evidência de acidente vascular cerebral, são as técnicas mais utilizadas para um diagnóstico mais preciso. Diante de tal contexto, este trabalho tem como objetivo fazer uma revisão bibliográfica sobre a Avaliação da Atetose através de Neuroimagem, principalmente o uso da Ressonância Magnética. É possível concluir que a ressonância magnética é uma poderosa prova para estudos de anatomia e para avaliar as alterações que ocorrem com o desenvolvimento do cérebro.

Biografia do Autor

André Luiz dos Santos, Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação

Biólogo e Pedagogo, associado profissionalmente ao Banco de Tecidos do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia(INTO), como Servidor na Fundação Saúde do Rio de Janeiro (FSERJ). Associado academicamente ao Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação (IBMR). Email: lopanrio@hotmail.com. 

Downloads

Publicado

30/06/2021

Como Citar

Santos, A. L. dos . (2021). DIAGNÓSTICO DA ATETOSE POR TÉCNICAS DE NEUROIMAGEM: ESTUDOS DE ANATOMIA E PARALISIA CEREBRAL. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(6), 221–230. https://doi.org/10.51891/rease.v7i6.1365